Últimas Publicações:

05/08/2021 - Educação Infantil

BAÚ DE IDEIAS – B...

Olá professor (a)! Na educação infantil, o trabalho com o número na maioria das escolas infantis trabalha basicamente no reconhecimento dos algarismos e escritas do mesmo; muitos educadores esquecem da importância d...

05/08/2021 - Educação Infantil

BAÚ DE IDEIAS – BRINCAR COM CRIANÇAS PEQUENAS

Olá professor (a)!

Na educação infantil, o trabalho com o número na maioria das escolas infantis trabalha basicamente no reconhecimento dos algarismos e escritas do mesmo; muitos educadores esquecem da importância da exploração da variedade de ideias matemáticas existentes, referentes a classificação e seriação. Toda criança passa por descobertas, ela precisa mexer, experimentar, tocar, explorar, vivenciar para poder assim conhecer o novo. Necessita do concreto através de materiais manipuláveis para poder organizar seus conhecimentos, o qual é adquirido naturalmente através do contato com outras pessoas, das interações com o grupo de amigos. Ou seja, é uma construção resultante das ações da criança com o mundo, e pode ocorrer através de jogos, brincadeiras, literatura, entre outros.

Através da atividade lúdica a criança constrói símbolos. Elas devem ter a oportunidade de construir as relações matemáticas em vez de simplesmente entrar em contato com o pensamento pronto, devem formular suas hipóteses a partir de ensaio e erro.

Por falar em lúdico, que tal propor uma atividade para as crianças?

Contando com os dedos

Material:

  • 1 luva de plástico transparente
  • 15 pompons de uma única cor
  • Durex
  • Caneta preta ou azul permanente

Desenvolvimento:

Essa atividade tem como objetivo, que a criança agrupe a quantidade de pompons em cada um dos dedos da luva. Para isso, enumere cada um dos dedos. Depois coloque dentro da luva 15 pompons da mesma cor, feche com durex a luva; aqui se deseja que a criança relacione os números e suas quantidades. Cores diferentes podem acabar induzindo a criança ao erro. É uma proposta sensorial, permitindo que a criança mova os pompons dentro da luva a fim de conseguir agrupar as quantidades.

Dica: você pode fazer duas luvas para trabalhar de 1 a 10 com as crianças maiores.

 

 

 

 

 

 

E aí, professor, o que achou dessa nossa sugestão?

E você, como trabalha números e quantidades com seus alunos? Comente e compartilhe com a gente.

 

Forte abraço e até o próximo post!
Equipe Assessoria Educação Infantil
Se desejar falar conosco, envie e-mail para: edinfantil@aprendebrasil.com
Siga nossas redes sociais: @aprendebrasil

Deixe o seu comentário!

29/06/2021 - Educação Infantil

Baú de ideias – F...

Olá, Professores! Todos os anos, quando o final do primeiro semestre se aproxima, as escolas começam a pensar na organização das festividades do mês de junho e julho. Isso por conta das festas juninas e alguma vezes...

29/06/2021 - Educação Infantil

Baú de ideias – Festa junina: que tal alegrar o arraiá na escola ou em casa?

Olá, Professores!

Todos os anos, quando o final do primeiro semestre se aproxima, as escolas começam a pensar na organização das festividades do mês de junho e julho. Isso por conta das festas juninas e alguma vezes julinas que acontecem nas cidades e em várias escolas. É comum a comunidade e as instituições escolares direcionarem o olhar para os arraiais com as bandeirolas, as vestimentas e os chapéus de palha, hoje sinônimos de festa caipira.

Fogueira de mentirinha, bandeirinhas e balões feitos de papel nas salas de aula e decorando a quadra da escola, barracas com brincadeiras, comidas e bebidas, vestimentas e danças características… Neste ano, por conta da pandemia, infelizmente as festas juninas não acontecerão como gostaríamos. Mas sem a festa presencial e apesar do distanciamento social, a celebração popular não precisa passar despercebida. É possível propor atividades e brincadeiras interessantes para serem realizadas com crianças pequenas. E o legal é que elas podem ser realizadas na escola ou em casa com a família.

Vejam a seguir, algumas propostas bacanas e divertidas que alegram e divertem a todos:

  • Uma vivência musical – experimentando os ritmos e movimento
  • Apresente para as crianças uma canção junina.
  • Apresente várias vezes e vá chamando atenção para o ritmo, marcando com palmas, com os pés, com passos etc.
  • Depois observe se as crianças percebem e reproduzem o ritmo e, aos poucos, aprendem a melodia ou a letra.
  • À medida que a brincadeira vai ficando mais conhecida, os ritmos podem ser obtidos com várias partes do corpo: batendo na barriga, nas coxas, nas costas do amigo, na bochecha (com boca aberta e fechada).
  • Essa é uma rotina que pode ser aplicada para introduzir e trabalhar qualquer tipo de música.
  • Para animar o arraial, dançar e aproveitar muito é só clicar aqui: http://bit.ly/festajunina_playlist_Tempojunto Vocês encontrarão várias opções de músicas para animar a festança.

 

  • Corrida do Pinguim
  • Você irá precisar apenas de bexigas, uma para cada participante.
  • Após encher a bexiga, basta colocar entre as pernas dos brincantes.
  • Marque a linha de chegada com um pedaço de fita crepe ou outro material que tiver disponível ( barbante, lã, durex colorido, uma tira de papel ou até mesmo pedrinhas ou gravetos que encontrar caídos no chão).

A brincadeira consiste em correr até a linha de chegada, com a bexiga entre as pernas, sem deixar cair e sem estourar!

Sabem porque a brincadeira é intitulada “ Corrida do Pinguim”?

Porque ao correr com a bexiga entre as pernas, os movimentos são muito parecidos com o andar do pinguim, ou seja, com os pés voltados para fora.

 

  • Acerte a lata
  • Você irá precisar de 10 latas vazias ( pode ser de milho, de molho de tomate, de creme de leite, etc). Se preferir, poderá encapá-las com o material que desejar ( papel de presente liso ou decorado, folhas de revistas, papel contato, etc). Se desejar, poderá aumentar a quantidade de latas.
  • Se não tiver latas, poderá ser com copos de papelão descartáveis.
  • Dispor as latas ou copos, formando uma torre com esses objetos, começando com a quantidade maior e terminando com um objeto apenas. Sugestão: começar fazendo uma fileira com 4 latas ou copos, sobre essa fileira intercalar 3 latas ou copos, depois 2 latas ou copos e terminar com 1 lata ou copo. Pronto a torre estará formada.

O objetivo do jogo, é derrubar as latas ou copos. Para isso, poderá ser utilizada qualquer bolinha que você tenha disponível ( bolinha de meia, de tênis, bolinha da piscina de bolinhas, etc) ou fazer uma bolinha de papel.

Após as brincadeiras realizadas, se desejarem as crianças poderão ganhar alguma prenda pela participação e ou comemorar saboreando pipocas, milho verde, pinhão, bolo, doces ou outras gostosuras.

Deixe seu comentário e conte para nós como foi o arraiá na escola ou em casa com a família.

 

Sempre que precisarem, entrem em contato conosco!

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria Educação Infantil Aprende Brasil

edinfantil@aprendebrasil.com.br

 

Referências

https://www.tempojunto.com/2019/05/13/brincadeira-de-movimento-com-bexiga-corrida-do-pinguim/ Brincadeira adaptada. Acesso em 15/06/2021

https://www.tempojunto.com/2015/06/12/brincadeiras-de-festa-junina-para-um-arraial-de-arrasar/  Brincadeiras adaptadas Acesso 15/06/2021

Deixe o seu comentário!

29/06/2021 - Educação Infantil

Bebês e Cia – Fes...

Olá, Professores!   É diversão, é alegria, é festa para os bebês e crianças bem pequenas! E por falar em diversão e alegria, elas adoram brincar com tecidos. Pedaços grandes, pequenos, estampados e colorido...

29/06/2021 - Educação Infantil

Bebês e Cia – Festa junina: que tal alegrar o arraiá na escola ou em casa?

Olá, Professores!

 

É diversão, é alegria, é festa para os bebês e crianças bem pequenas!

E por falar em diversão e alegria, elas adoram brincar com tecidos. Pedaços grandes, pequenos, estampados e coloridos se transformam em capas de super-heróis, vestidos encantados, tendas, casinhas de faz de conta e até mesmo como “cheirinho” e isso tudo para os bebês e as crianças bem pequenas é sempre um prato cheio para descobertas e explorações. Desvendar os cheiros, os toques, texturas, cores e coordenar os movimentos representam pura diversão e encantamento.

Todos os anos, quando o final do primeiro semestre se aproxima, as escolas começam a pensar na organização das festividades do mês de junho e julho. Isso por conta das festas juninas e alguma vezes julinas que acontecem nas cidades e em várias escolas.

Neste ano, por conta da pandemia, infelizmente as festas juninas não acontecerão como gostaríamos. Mas sem a festa presencial e apesar do distanciamento social, a celebração popular não precisa passar despercebida. É possível propor atividades e brincadeiras interessantes para serem realizadas com bebês e crianças bem pequenas. E o legal, é que elas podem ser realizadas na escola ou em casa com a família.

Então, que tal aproveitar o período de festa junina e realizar brincadeiras com tecidos? Só que, como estamos falando em festa junina, a sugestão é escolher fitas diversas, tecido xadrez, jutas, chitas de várias cores, tamanhos e espessuras, já que esse material reflete o espírito junino. Inclusive, é possível aproveitar o material na decoração da sala de aula, da escola ou da residência, apresentando às crianças novos usos e seus significados.

  • Caixa do Kit

Dentro da caixa, colocar os materiais: fitas diversas, tecidos xadrez, chitas, jutas e outros tecidos que desejarem e que lembrem festa junina.

  • Despertando o interesse

Sem interferir na criatividade dos pequenos, despertar o interesse e favorecer a livre exploração, organize os tecidos espalhados no chão, num espaço amplo em suportes ou locais em que seja possível amarrá-los e pendurá-los.

Será perceptível a curiosidade e a vontade das crianças em manipular e estender os tecidos, deitar sobre eles, cobrir-se, colocar na cabeça, na boca, cheirar, puxar, apenas passar as mãos, se enrolar e alternar a exploração dos variados tamanhos, estampas e texturas.

  • Explorando e descobrindo

Passada a primeira euforia, possivelmente as crianças começarão a pensar em brincadeiras mais elaboradas. Nesse momento, é importante o olhar e a escuta atenta, observando as criações e invenções, não descartando-se as possíveis intervenções do adulto, porém sem usar da sua “interferência” nas elaborações realizadas. Aqui as crianças descobrirão várias possibilidades de utilização dos tecidos.

Aproveitando o trabalho sobre festa junina, colocar as músicas típicas, fazer as pinturas típicas nos pequenos ( só muita atenção: não utilizar produtos em crianças que são alérgicas)e disponibilizar apetrechos como chapéus e adereços para despertar ainda mais o interesse, promover a exploração, a criação e a descoberta. As músicas divertem, alegram e encantam o mundo dos bebês e das crianças bem pequenas. Deixe-as criar, cantar, dançar e se divertir como conseguirem, de acordo com suas capacidades, interesses e como desejarem.

  • Acabando a brincadeira suavemente

Nas brincadeiras com tecidos, os bebês e as crianças bem pequenas vão naturalmente se cansando, brincando de dormir ou abrigando-se nas cabanas, nos colchonetes ou nos tapetes e almofadas disponibilizadas pelo ambiente. No caso dos bebês, é importante faze-los dormir como de costume e para as crianças bem pequenas, sugere-se aproveitar essas situações, trazendo a questão do cansaço e do sono como proposta lúdica: colocar a caixa do kit no centro do ambiente e convidar os pequenos a colocar os panos cansados para dormir também! Vocês perceberão quantas situações interessantes surgirão como: crianças cantarolando cantigas de ninar, ajeitando o tecido para dormir como se fosse um bebê, dialogando com o tecido fazendo de conta que é uma criança, etc. Portanto, é interessante observar e levantar as possibilidades que brotam naquele momento para terminar suavemente a brincadeira.

E, no momento de decorar a escola para a festa, as crianças podem pegar os tecidos já conhecidos do kit e ajudar na decoração. Nesse sentido, as brincadeiras realizadas com os tecidos de chita vão contribuir com a contextualização da data comemorativa.

 

Deixe seu comentário e conte para nós como foi a brincadeira com tecidos no arraiá na escola ou em casa com a família.

 

Sempre que precisarem, entrem em contato conosco!

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria Educação Infantil Aprende Brasil

edinfantil@aprendebrasil.com.br

 

REFERÊNCIAS:

https://tempodecreche.com.br/repertorio-cultural/chita-festa-junina-e-um-kit-para-brincadeiras/#more-5400 Proposta adaptada. Acesso em 15/06/2021

Deixe o seu comentário!

02/06/2021 - Educação Infantil

Baú de ideias ̵...

Olá, Professores! Como vocês estão? Vocês conhecem o jogo “come-come”? É uma dobradura de papel, com números de 1 a 8 ou com 8 cores / formas / símbolos diferentes, para brincar em duas ou mais pessoas. Uma pe...

02/06/2021 - Educação Infantil

Baú de ideias – “Come-come” das emoções

Olá, Professores!

Como vocês estão?

Vocês conhecem o jogo “come-come”? É uma dobradura de papel, com números de 1 a 8 ou com 8 cores / formas / símbolos diferentes, para brincar em duas ou mais pessoas. Uma pessoa fala um número de 1 a 10 e quem está com o “come-come” na mão, tem que abrir e fechar na quantidade de vezes correspondente ao número que a pessoa falou. Então a pessoa que falou o número, escolhe uma cor, ou número, ou forma / símbolo. Quem está com o “come-come” abre e lê o que está escrito no papel.

Aqui nesse vídeo é possível observar como fazer o “come-come” e como brincar: https://www.youtube.com/watch?v=367Eh1Xh9EQ

Como a ideia hoje é trabalhar com as competências socioemocionais, podemos escrever diferentes emoções, sentimentos, ou formas de agir frente às emoções em cada uma das abas e, ao abrir a aba, a criança deve falar sobre aquela emoção, se já sentiu ou como se sente em determinada situação. Assim: digamos que a criança escolheu a aba verde – “TRISTEZA”. Você, professor, pode orientar ou vocês podem elaborar as regras antes de iniciar a brincadeira. Se o combinado for falar se já se sentiu triste, como no exemplo, a criança vai contar alguma situação em que já experimentou tristeza. E assim por diante, com outras emoções como felicidade, medo, surpresa, raiva, nojo, desprezo, inveja, etc.

Dessa forma, adultos e crianças se expressam e contam situações e maneiras de lidar com as mais diversas emoções e sentimentos. As crianças são ouvidas, elaboram novas formas de pensar, sentir e agir, entendem suas emoções e, consequentemente, podem ter ganhos e melhores desempenhos nas mais diversas situações do dia a dia, além do desenvolvimento da competência geral da BNCC autoconhecimento.

Há também outras variações para a brincadeira “come-come”, com outros objetivos: trabalhar com as quantidades, com desafios, com perguntas ou com a intencionalidade pedagógica que você desejar.

O que vale é soltar a criatividade, sempre tendo em vista a intenção das propostas.

Boa diversão!

Façam aí e nos contem, aqui nos comentários, como foi. Vamos gostar de saber!

Um abraço,

Equipe da Assessoria de Educação Infantil Aprende Brasil

Deixe o seu comentário!

31/05/2021 - Educação Infantil

Bebês e CIA –...

Olá, Professores! Como vocês estão? Esta é a cena de um vídeo disponível no Instagram @gemeasdafer, que mostra duas irmãs gêmeas (3 anos) fazendo o experimento de passar um líquido, parece ser suco de uva, de um...

31/05/2021 - Educação Infantil

Bebês e CIA – As emoções no dia a dia dos bebês e das crianças bem pequenas

Olá, Professores!

Como vocês estão?

Esta é a cena de um vídeo disponível no Instagram @gemeasdafer, que mostra duas irmãs gêmeas (3 anos) fazendo o experimento de passar um líquido, parece ser suco de uva, de um recipiente para outro. Nesses últimos dias, o vídeo teve muitas visualizações na rede social e, além da experiência de conservação de quantidade, do trabalho de coordenação motora para pegar os recipientes e servir o líquido, foi possível observar também a forma como as meninas enfrentam os desafios.

Quer assistir ao vídeo? Clique aqui: https://www.instagram.com/p/CO7yDwpBOp6/

Experimentos e brincadeiras como essa são incríveis para o desenvolvimento infantil! Por isso, deixamos nossa dica para que sejam ofertadas situações nas quais as crianças se sintam desafiadas, motivadas a aprender, a testar suas habilidades, pois, dessa forma, vivenciam inúmeros conteúdos, mas também aprendem sobre como lidar com as situações em que algo não sai como o esperado, sobre superação, coragem e respeito às diferenças, pois cada pessoa é única e tem um conjunto de habilidades também único.

Além do trabalho lúdico com os campos de experiências, também são percebidas as competências socioemocionais, que são sentidas e vividas “na vida real” em situações como essas que vimos no exemplo.

Quando os bebês e as crianças bem pequenas têm a oportunidade de experimentar, aprendem e superam seus limites, além de receberem estímulos para aguçar a curiosidade e a criatividade na resolução dos problemas do dia a dia, enquanto aprendem sobre si e desenvolvem o autoconhecimento.

Em vivências como essas, é importante que os adultos preparem o local, cuidando na escolha dos materiais (apropriados a cada idade) e supervisionem a brincadeira, acompanhando, encorajando e ficando ao lado dos pequenos. Esse olhar e apoio são fundamentais para a criança se sentir segura e confiante para seguir com suas descobertas e aprendizagens.

Em que outras situações podemos trabalhar novas habilidades e desenvolver a inteligência emocional?

Compartilha conosco suas experiências aqui nos comentários! Vamos gostar de saber!

Um abraço,

Equipe da Assessoria de Educação Infantil Aprende Brasil

Deixe o seu comentário!

23/04/2021 - Educação Infantil

Baú de ideias – A...

Olá, Professores! Desejamos que todos estejam bem! Hoje, falaremos um pouquinho sobre criatividade, que é uma das habilidades mais importantes para se desenvolver uma atividade produtiva, tanto para nós professores, ...

23/04/2021 - Educação Infantil

Baú de ideias – A criatividade das crianças pequenas

Olá, Professores!

Desejamos que todos estejam bem!

Hoje, falaremos um pouquinho sobre criatividade, que é uma das habilidades mais importantes para se desenvolver uma atividade produtiva, tanto para nós professores, quanto para as crianças pequenas. Ser criativo é uma característica que faz a diferença, traz mais oportunidades e possibilidades de conhecimento e aprendizado.

Segundo Sir Ken Robinson, criatividade é um processo de ter ideias originais que tenham valor.

Processo e não uma ideia que veio do além; originais porque são únicos, autênticos, não são copiados e nem reproduzidos se tiverem algum valor.

Todos nascemos com um grande potencial criativo, apenas precisamos desenvolver a criatividade.

E isso inicia-se com os bebês e crianças bem pequenas, quando começam a se descobrirem como ser, estar e sobreviver no meio onde estão inseridos, ou seja no mundo que os cercam. E a infância é o momento ideal onde os professores podem contribuir por meio de atitudes e atividades simples e poderosas a estimular o pensamento criativo dentro do desenvolvimento natural das crianças.

No Blog “Bebês e CIA”, falamos que os bebês são cientistas, enquanto que as crianças bem pequenas são exploradoras.

Nesse Blog “Baú de ideias”, nos referimos às crianças pequenas com idade de 4 e 5 anos como inventoras. Nessa fase é como ocorresse um pico de criatividade das crianças as quais já dominam a imaginação que está muito presente em suas ações e que é muito importante e especial para elas.

Durante esse período, a criança entende que a sua mente é capaz de criar coisas e não há limites para que essa criação ocorra, porque acredita na sua própria capacidade e nada mais fantástico do que brincar de faz de conta, de explorar, de inventar, de criar possibilidades.

Nessa idade a criança está fazendo um ensaio para a vida, ensaiando como é viver enquanto brinca. Reproduz profissões, situações e também as suas vivências. Em geral, o que a criança expressa nessas brincadeiras de faz de conta são as referências que possuem dos adultos que a cerca e será esse inventor a partir dos interesses, estímulos e das referências que são fornecidas a ela.

Nesse caso, é importante oferecer para as crianças acessórios como, caixas, chapéus, lenços, toalhas, lençol, TNT ou qualquer outro tecido grande e outros materiais para que elas possam usar a criatividade, imaginação para transformá-los em que desejarem e para que a imaginação delas ganhe vida.

Outra opção, é formar uma brinquedoteca versátil, com materiais de montar e objetos como bonecas, panelinhas, louças de brinquedo e muito mais.

Brincar com materiais, acessórios, brinquedoteca versátil e brincar com seus pares são possibilidades de estimular a criatividade dessas crianças inventoras.

Brinquedos são seus companheiros e fundamentais para despertar a criatividade e esse poder de invenção que toda criança possui.  Basta uma diversidade deles e muito estímulo a cada momento.

Para isso, segue algumas sugestões interessantes, divertidas e estimulantes para as nossas crianças inventoras.

  1. Brincando com caixas de papelão

Para a criança inventar algo que tenha vontade.

Materiais: caixas de papelão e fita crepe

Observe nas imagens abaixo que lindo castelo e que cabana bacana foram inventadas e criadas pela criança.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2.Brincando com tecidos

Materiais: disponha lençóis, toalhas, TNT ou qualquer outro tecido e deixe a criatividade rolar solta entre as crianças. Poderá surgir uma barraca, uma tenda, um vestido e ou véu de noiva, uma capa de super herói, enfim deixe a criança “ inventar moda”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.Gincana das profissões

Para fazer essa brincadeira, você precisa preparar uma lista de profissões: médico, veterinário, cozinheiro, cabeleireiro, bombeiro, professor…

Selecionar previamente alguns materiais e objetos relacionados com as profissões, deixando-os em espaços onde as crianças possam encontra-los. A atividade consiste em falar para a criança uma profissão dessa lista e pedir para ela procurar 3 objetos que sejam usados por um profissional desse ramo. Em seguida, deverá criar uma situação para representar a profissão falada para ela.

Por exemplo, ela pode pegar uma pedra e dizer que é o giz da professora. Ou pegar uma cartolina e dizer que é a lousa. É possível também.  É uma ótima maneira de ver até onde vai a imaginação das crianças.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mas não esqueçam que o fundamental sempre e em qualquer faixa etária é conversar com a criança, olhar para o que a criança olha, compartilhar o olhar com ela, esticar a conversa, fazer perguntas como:  o quê? Como? Cadê? O que é isso? Porque e como fez isso?

E vários outros questionamentos que certamente promoverão a descoberta, a aprendizagem, estimularão a criatividade e auxiliarão a desenvolver a linguagem oral da criança.

 

Deixe seu comentário e compartilhe conosco como é a experiência de trabalhar com crianças inventoras.

 

Sempre que precisarem, entrem em contato conosco!

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria Educação Infantil Aprende Brasil

edinfantil@aprendebrasil.com.br

 

REFERÊNCIAS:

Robinson, Ken. Somos todos criativos: os desafios para desenvolver uma das principais habilidades do futuro. São Paulo: Benvirá, 2019

https://www.tempojunto.com/2020/11/02/como-estimular-a-criatividade-infantil-com-caixas-de-papelao/ Acesso em 22/04/2021

https://www.tempojunto.com/2016/05/20/10-maneiras-de-fazer-uma-cabana-em-casa/ Acesso em 22/04/2021

 

Deixe seu comentário e compartilhe como foi a experiência com a gente.

 

Sempre que precisarem, entrem em contato conosco!

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria Educação Infantil Aprende Brasil

edinfantil@aprendebrasil.com.br

 

Deixe o seu comentário!