Últimas Publicações:

02/08/2022 - História

Fórum: estratégia ...

    Olá professor! Olá professora!   Caracterização da técnica: fórum A técnica é boa para garantir a participação de grande número de pessoas, sobre temas contraditórios, embora alguns partici...

02/08/2022 - História

Fórum: estratégia para aulas de história

 

 

Olá professor! Olá professora!

 

Caracterização da técnica: fórum

A técnica é boa para garantir a participação de grande número de pessoas, sobre temas contraditórios, embora alguns participem como observadores do debate.

 

Fonte da Imagem: Pixabay

 

Objetivos:

  • Dinamizar o grupo.
  • Desenvolver a capacidade de raciocínio.
  • Desenvolver a logicidade.
  • Ensinar a saber vencer e a saber perder.
  • Desenvolver a capacidade de aceitar pontos de vista contrários.
  • Desenvolver a imparcialidade de julgamento.

 

Quando usar?

  • Quiser treinar o grupo a não se envolver emocionalmente na questão, desenvolvendo a racionalidade.
  • Quiser despertar a participação da assembleia através de depoimentos.
  • Desejar discutir temas controvertidos.

 

Esta e outras técnicas podem ser consultadas no site História Digital, onde foram originalmente publicadas.

 

Como usar?

  • Escolha três participantes: um defende, o outro contesta o tema, e o terceiro coordena.
  • A assembleia deve participar, colocando-se de um lado ou de outro.
  • No final, o moderador oferece uma conclusão.
  • Obs. Para aumentar a participação pode-se constituir um corpo de auxiliares da defesa e da acusação, e um júri.

 

Gostou da proposta? Já desenvolveu algum trabalho como este com seus alunos? Compartilhe conosco

 

Equipe Assessoria de História e Ensino Religioso

Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil

 

 


Referências:
HISTÓRIA DIGITAL. 25 dinâmicas pedagógicas para grupos. Disponível em: <https://historiadigital.org/atividades/25-dinamicas-pedagogicas-para-grupos/>. Acesso em: 17 mar 2022.

Deixe o seu comentário!

19/07/2022 - História

Painel de três: din...

    Olá professor! Olá professora!   Neste post você conhecerá a técnica painel de três que pode ser desenvolvida em sala de aula com o objetivo de estimular o protagonismo do aluno diante do aprendi...

19/07/2022 - História

Painel de três: dinâmica para aulas de história

 

 

Olá professor! Olá professora!

 

Neste post você conhecerá a técnica painel de três que pode ser desenvolvida em sala de aula com o objetivo de estimular o protagonismo do aluno diante do aprendizado.

 

Painel de três

 

Fonte da Imagem: Pixabay

 

Esta e outras técnicas podem ser consultadas no site História Digital, onde foram originalmente publicadas.

 

Como usar?

  • Dividir o grupo em três subgrupos. Denominá-los: Apresentador, Opositor e Assembleia.
  • O grupo Apresentador apresenta (sem ser interrompido), o conteúdo do tema.
  • O grupo Opositor anota o que não concorda e o que concorda. Após o Apresentador terminar, lança suas anotações para o grupo.
  • A Assembleia, que tudo ouviu e anotou, apresenta seu depoimento.
  • O professor conclui.

 

 

Gostou da proposta? Já desenvolveu algum trabalho como este com seus alunos? Compartilhe conosco

 

Equipe Assessoria de História e Ensino Religioso

Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil

 

 


Referências:
HISTÓRIA DIGITAL. 25 dinâmicas pedagógicas para grupos. Disponível em: <https://historiadigital.org/atividades/25-dinamicas-pedagogicas-para-grupos/>. Acesso em: 17 mar 2022.

Deixe o seu comentário!

05/07/2022 - História

Painel com interroga...

    Olá professor! Olá professora!   Conheça a técnica painel com interrogatório e o passo a passo para ser desenvolvido em sala de aula.   Caracterização da técnica: painel com interrogatór...

05/07/2022 - História

Painel com interrogatório nas aulas de história

 

 

Olá professor! Olá professora!

 

Conheça a técnica painel com interrogatório e o passo a passo para ser desenvolvido em sala de aula.

 

Caracterização da técnica: painel com interrogatório

Um pequeno grupo de especialistas em determinado assunto discute e é interrogado por uma ou mais pessoas, geralmente sob a coordenação de um moderador. Trata-se de uma variação de técnica de discussão em painel. Dele participam três a cinco pessoas, o moderador e os interrogadores. A discussão é informal, mas as respostas devem ser dadas com a máxima precisão. O desenvolvimento do assunto baseia-se na interação entre o interrogador e o painel. As perguntas devem ser objetivas.

 

Objetivos:

  • Despertar o interesse do grupo para um tema.
  • Discutir um grande número de questões, num curto espaço de tempo
  • Apresentar diferentes aspectos de um assunto complexo.
  • Aproveitar a experiência de alguns membros do grupo.
  • Conseguir detalhes de algum assunto ou problema.

 

Esta e outras técnicas podem ser consultadas no site História Digital, onde foram originalmente publicadas.

 

Quando usar?

  • O número de participantes é muito grande.
  • Os integrantes do painel (moderadores e interrogadores) puderem ser escolhidos entre os membros do próprio grupo.
  • O grupo estiver interessado em aprofundar o tema.

 

Como usar?

  • Selecionar com antecedência o moderador, os interrogadores e o painel.
  • O moderador deve reunir-se com os interrogadores para fixar a orientação.
  • Na reunião, o moderador apresenta ao grupo os integrantes do painel.
  • A seguir apresenta sucintamente o assunto e explica a técnica.
  • Os interrogadores devem iniciar o interrogatório, expressando as perguntas de maneira clara e concisa. O êxito das discussões depende dos interrogadores, que têm grande responsabilidade na condução dos debates, tanto do ponto do encadeamento da ideia, como do nível de detalhe a que se deve chegar.
  • O moderador intervirá quando houver necessidade de aprofundar um aspecto abordado, esclarecer um ponto obscuro, pedir a repetição de uma pergunta ou de uma resposta não compreendida, interpelar algum membro do painel que estiver sendo prolixo, fugindo do tema central ou interpretando mal seu papel.
  • Ao final do interrogatório, o moderador apresenta uma síntese geral.

 

 

Gostou da proposta? Já desenvolveu algum trabalho como este com seus alunos? Compartilhe conosco

 

Equipe Assessoria de História e Ensino Religioso

Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil

 

 


Referências:
HISTÓRIA DIGITAL. 25 dinâmicas pedagógicas para grupos. Disponível em: <https://historiadigital.org/atividades/25-dinamicas-pedagogicas-para-grupos/>. Acesso em: 17 mar 2022.

Deixe o seu comentário!

21/06/2022 - Ensino Religioso, História

Mesa redonda: discut...

    Olá professor! Olá professora!   A técnica da mesa redonda pode ser um importante estratégia para estimular a argumentação dos estudantes durante as aulas de ensino religioso, veja como ela pode ...

21/06/2022 - Ensino Religioso, História

Mesa redonda: discutindo a diversidade religiosa

 

 

Olá professor! Olá professora!

 

A técnica da mesa redonda pode ser um importante estratégia para estimular a argumentação dos estudantes durante as aulas de ensino religioso, veja como ela pode ser aplicada.

 

Caracterização da técnica: mesa redonda

Poucas pessoas dispondo de tempo para discutir um assunto, em igualdade de condições.

 

 

Fonte da Imagem: Pixabay

 

 

Objetivos:

  • Discutir ou refletir sobre um tema ou situação-problema.
  • Obter a participação de todos (num grupo pequeno).
  • Chegar a uma decisão participativa e, quando possível, unânime.
  • Levar os participantes a assumir responsabilidades. Participação na decisão é garantia de colaboração.

 

Esta e outras técnicas podem ser consultadas no site História Digital, onde foram originalmente publicadas.

 

Quando usar?

  • Procura sincera do diálogo.
  • Igualdade entre os participantes.
  • Universo comum de comunicação.
  • Definição clara do tema ou problema e do objetivo a que se quer chegar.

 

Como usar?

  • Pequeno número de participantes, sentados em um círculo, em igualdade de condições.
  • Discussão livre entre si sobre o tema proposto.
  • Coordenação bem livre.

 

Gostou da proposta? Já desenvolveu algum trabalho como este com seus alunos? Compartilhe conosco

 

Equipe Assessoria de História e Ensino Religioso

Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil

 

 


Referências:
HISTÓRIA DIGITAL. 25 dinâmicas pedagógicas para grupos. Disponível em: <https://historiadigital.org/atividades/25-dinamicas-pedagogicas-para-grupos/>. Acesso em: 17 mar 2022.

Deixe o seu comentário!

07/06/2022 - História

Método casuístico ...

    Olá professor! Olá professora!   Nesse post apresentaremos o método casuístico de Harvard, que pode facilmente ser desenvolvido durante nossas aulas de história.   Caracterização da técnic...

07/06/2022 - História

Método casuístico de Harvard nas aulas de História

 

 

Olá professor! Olá professora!

 

Nesse post apresentaremos o método casuístico de Harvard, que pode facilmente ser desenvolvido durante nossas aulas de história.

 

Caracterização da técnica: método casuístico de Harvard

Atualmente tem-se dado ênfase ao estudo de casos, não só em empresas, mas também nas escolas. O chamado Caso é levado a reunião de debates, a fim de que as opiniões e as informações favoreçam o melhor entendimento. Diversas técnicas têm sido desenvolvidas, envolvendo principalmente as teorias do desenvolvimento do pensamento. O método casuístico, desenvolvido pela Harvard Business School, nos EUA, tem sido usado em diversas universidades, empresas e escolas.

 

Fonte da Imagem: Pixabay

 

Objetivos:

O objetivo desse trabalho de grupo não é a solução do caso, mas o desenvolvimento de uma proveitosa abordagem da questão.

 

Esta e outras técnicas podem ser consultadas no site História Digital, onde foram originalmente publicadas.

 

Como usar?

São oferecidas algumas sugestões aos coordenadores das reuniões de grupo. São as seguintes:

  • Oferecer aos participantes, em cópias, um caso que é apresentado em forma de teste de dupla escolha (certo, errado). Nesses testes são apresentados os dados do problema.
  • Dar dez a quinze minutos para que cada participante leia o caso e responda às questões.
  • Enquanto os participantes estão completando o caso, escrever os números de 1 a 10 no quadro de giz, com as colunas “certo-errado”. Quando todos terminarem, reunir os participantes em grupos de dois ou de quatro a fim de que o assunto seja debatido.
  • Partindo da primeira afirmação, perguntar a cada grupo (ou a um relator previamente designado) os motivos que levaram os participantes a responder “certo” ou “errado”. Os debates deverão concentrar-se, de preferência, nas questões em que haja grande diferença de opiniões. Nesta etapa o coordenador deverá conduzir a reunião a fim de evitar discussões dispersivas e cansativas, sem resultado.
  • Depois da discussão (mas sem relação com respostas em que houve um consenso), pedir ao grupo que responda de novo as afirmações à luz dos debates, que devem corresponder aos ensinamentos doutrinários.
  • Ler as respostas previamente consideradas corretas a fim de que os participantes verifiquem, em grupo, como conduziram o teste.
  • Marcar a distribuição das respostas no quadro de giz.
  • Na etapa das respostas às perguntas – por quê -, o coordenador poderá contrapor o raciocínio dos mais exatos ao daqueles menos exatos (ou completos), apresentar seus próprios argumentos ou comparar o caso com princípios doutrinários implicados na compreensão e na resolução de problemas.
  • Organizar uma equipe que, ao final, fará a avaliação das respostas às discussões.

 

CONVÊM TOMAR CERTAS PRECAUÇÕES AO LEVAR UM CASO AO DEBATE:

  • Os casos não devem ser muito longos ou complexos, o que pode levar os participantes a discordâncias, que por vezes podem ser de difícil solução.
  • Deve haver, no exercício-caso, respostas certas e erradas. Quando não há respostas certas os participantes não acham fácil encontrar uma solução objetiva para suas divergências.
  • Quando o caso tiver problemas de fatos, opiniões, sentimentos, suposições, atitudes, convêm discriminar os “incidentes críticos”, a fim de facilitar a solução.
  • Poder-se-á, se for o caso, acrescentar ao estudo do caso o comentário de vários “experts” como guias para o debate do caso.
  • Os grupos, se possível, poderão ser divididos de acordo com a atividade de cada elemento: grupo de supervisão, grupo de treinamento, etc.
  • Insistir no fato de que, quando se examinam esses casos, os grupos devem concentrar-se no que acontece e por quê, nas relações interpessoais que o caso envolve, do que essencialmente está sendo tratado, em quem é o culpado. Não se trata de uma tarefa de detetive.
  • Esta abordagem provavelmente levará mais à crítica negativa que não é fecunda quanto à compreensão positiva e à análise criativa do relacionamento humano.
  • Convém certificar-se de que a análise do caso levará o grupo para a decisão e a ação. A análise deverá ser feita exaustivamente, levando em conta todos os elementos antes da decisão.
  • As conclusões prematuras, baseadas apenas em experiências pessoais (em minha opinião, porque eu tive um caso, etc.) levam a distorções dos fatos.
  • No tocante a decisão e ao consenso, convêm perceber que, do ponto de vista da pessoa que considera o caso, raramente haverá concordância com os outros, na etapa de discussão.
  • Diversas soluções ou decisões alternativas vão surgir. Alguns elementos poderão ser convidados para debater seus pontos de vista, para tanto, ser-lhes-ão dados cinco minutos de defesa.
  • Tratando-se de problemas humanos, onde são tantos fatores imprevistos e imprevisíveis, raramente podemos dizer que há uma solução perfeita sobre a qual todos concordem. Mediante o processo da própria análise e do treinamento do processo de avaliação, da interpretação das diversas suposições, gradativamente, chegaremos a soluções de consenso.

 

Gostou da proposta? Já desenvolveu algum trabalho como este com seus alunos? Compartilhe conosco

 

Equipe Assessoria de História e Ensino Religioso

Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil

 

 


Referências:
HISTÓRIA DIGITAL. 25 dinâmicas pedagógicas para grupos. Disponível em: <https://historiadigital.org/atividades/25-dinamicas-pedagogicas-para-grupos/>. Acesso em: 17 mar 2022.

Deixe o seu comentário!

02/06/2022 - História

Grupo PAC: dinâmica...

    Olá professor! Olá professora!   Hoje vamos conhecer a técnica  grupo PAC para ser desenvolvida nas mais diversas situações das aulas de história.   Caracterização da técnica: Grupo PAC...

02/06/2022 - História

Grupo PAC: dinâmica para aulas de História

 

 

Olá professor! Olá professora!

 

Hoje vamos conhecer a técnica  grupo PAC para ser desenvolvida nas mais diversas situações das aulas de história.

 

Caracterização da técnica: Grupo PAC

A Análise Transacional estabelece três estados do EU que chama de: PAIS, ADULTO, CRIANÇA. A atividade típica dos PAIS incluem passar sermões, tomar conta dos outros, alimentar, punir, criticar, apiedar-se, julgar e dar ordens. O melhor indício para a descoberta de quando um indivíduo está agindo com o estado do EU-PAIS é observá-lo quando fala. Geralmente está usando as expressões: Você deve, você precisa, isto está certo, sempre…, nunca…Tem os braços cruzados sobre o peito e o dedo em riste. O estado do EU-CRIANÇA é facilmente identificável por expressões emotivas como: Puxa! Eu quero! Viva! Legal!. Quando a pessoa está no estado do EU-CRIANÇA está sorrindo, rindo, chorando, tem explosões emotivas, mete-se em confusões, diverte-se e faz os outros divertirem. O estado do EU-ADULTO é objetivo, calmo, tranquilo. O adulto usa expressões que revelam dar informação, fazer perguntas, resolver problemas e discutir racionalmente.

 

De uma maneira geral é possível, ao interpretar conversas rotineiras, identificar o estado do EU que está dominando a pessoa.

 

Assim:

“Dois alunos de uma escola, Maria e João, foram apanhados matando aula. Como agiriam os Eus para dizer: Pegaram o João e a Maria matando aula?

PAIS – Este mundo está perdido. Que desavergonhados.

ADULTO – Você viu realmente?

CRIANÇAS – Puxa! Que azar o deles.

 

 

Fonte da Imagem: Pixabay

 

 

Como usar?

  • Utilizamos a técnica em aula, formando três grupos distintos – o grupo judicioso (PAIS), o grupo computador (Adulto) e o exemplificador (CRIANÇA).
  • É oferecido ao grupo uma série de dados: conceitos, definições, informações incompletas (mas não erradas).
  • O coordenador lê o conceito (incompleto) e o grupo computador deve reformular o conceito.
  • Reformulado o conceito, o grupo exemplificador dá exemplos que ilustram o conceito.
  • A seguir o grupo judicioso julga o conceito e o exemplo.
  • Convém, depois de analisados 3 ou 4 conceitos, fazer um rodízio de grupos.
  • Os grupos poderão ser avaliados em função das respostas dadas.
  • Para isso deverá ser organizado um GTA (Grupo de Trabalho de Avaliação) que anotará e dará nota aos grupos.

 

Esta e outras técnicas podem ser consultadas no site História Digital, onde foram originalmente publicadas.

 

Quando usar?

  • Convém organizar com antecedência: os conceitos, as informações, as definições e as frases.
  • Dada uma unidade de estudo, formam-se três grupos: grupo judicioso (PAIS), grupo computador (ADULTO) e grupo exemplificador (CRIANÇA).

 

Gostou da proposta? Já desenvolveu algum trabalho como este com seus alunos? Compartilhe conosco

 

Equipe Assessoria de História e Ensino Religioso

Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil

 

 


Referências:
HISTÓRIA DIGITAL. 25 dinâmicas pedagógicas para grupos. Disponível em: <https://historiadigital.org/atividades/25-dinamicas-pedagogicas-para-grupos/>. Acesso em: 17 mar 2022.

Deixe o seu comentário!