Últimas Publicações:

24/09/2020 - Língua Inglesa

Padlet nas aulas de ...

Hello, everyone!!! How are you doing? I hope you are really good! Learning new things and rhythms! Por aqui estamos a mil por hora! A cada dia nos surpreendendo com a criação dos professores e a sua paixão por ensinar...

24/09/2020 - Língua Inglesa

Padlet nas aulas de inglês – um mural interativo para criar e compartilhar

Hello, everyone!!!

How are you doing? I hope you are really good! Learning new things and rhythms!

Por aqui estamos a mil por hora! A cada dia nos surpreendendo com a criação dos professores e a sua paixão por ensinar.

Em nossa formação digital, no curso Inglês com jogos e brincadeiras estamos trabalhando o conceito e algumas possibilidades de gamificação.

Para conseguir um mural colaborativo e postar atividades, imagens, textos, vídeos, utilizamos o Padlet. O Padlet é uma ferramenta online que funciona como mural interativo e permite criar um espaço onde professor e alunos podem interagir postando ideias, vídeos, links, imagens, comentando e dando like nas outras postagens. E você pode utilizar facilmente no Google Classroom ou enviar link e QR code para compartilhamento.

Fizemos um Padlet para o curso, sobre gamificação. Visite e veja!

https://padlet.com/cassianabeghetto/rimkj1b1r9gk05oh

É possível salvar todas as publicações do mural em PDF, no formato de jornal, revista.

         

A professora Maria Luciana de Brito Martins foi logo criar o dela para usar em suas aulas! Veja:

Professores que aprendem, criam, aproveitam a oportunidade, fazem a diferença!

Parabéns, Luciana!

Go for it!

The students need teachers like that!

Deixe o seu comentário!

07/09/2020 - Língua Inglesa

Station Rotation, o ...

Hello, everybody! Você já ouviu falar de Station Rotation ou Rotação por Estações? Essa é uma metodologia ativa, uma forma de promover a interação em sala de aula e desenvolver ao mesmo tempo a autonomia do alun...

07/09/2020 - Língua Inglesa

Station Rotation, o que é? Sugestão com tema Fairy Tales

Hello, everybody!

Você já ouviu falar de Station Rotation ou Rotação por Estações?

Essa é uma metodologia ativa, uma forma de promover a interação em sala de aula e desenvolver ao mesmo tempo a autonomia do aluno e o trabalho em grupo. Com essa estratégia, tarefas são propostas para que sejam desenvolvidas pelas equipes em um tempo curto, em torno de 10 a 15 minutos. Então o professor planeja 4 atividades e distribui em 4 espaços pelos quais as equipes irão transitar. Dado o sinal, a equipe tem 10 minutos para realizar a tarefa proposta. Ao término do tempo, as equipes rotacionam, realizando a próxima atividade. E assim continuam até percorrer todo o percurso.

Essa estratégia dinamiza a aula, lembrando um pouco a ideia dos jogos online, nas quais o aluno precisa cumprir uma tarefa em um determinado tempo para passar para a próxima fase.  Logo, estamos gamificando a aula, quando apresentamos aos alunos essa proposta.

Na Formação Digital do Sistema de Ensino Aprende Brasil, no curso A BNCC está aí. And now What? Caminhos para o Ensino de Língua Inglesa, trabalhamos com muitos professores estudando e desenvolvendo essa proposta. Apresento hoje um exemplo para o 4 ano.

A professora Karoline Aparecida de Oliveira Ribas do Município de São Lourenço do Oeste, SC, desenvolveu o tema FAIRY TALES, relacionado ao volume 2 do 4 ano.

Em primeiro lugar, as estações foram divididas por cores YELLOW, BLUE, RED, PINK. Vale lembrar que é muito importante que exista um momento de apresentação das atividades, antes que as equipes iniciem o percurso de rotação.

Os objetivos dessa atividade são

  1. Apresentar aos alunos o vocabulário referente às características físicas das pessoas ou de alguns lugares que possam aparecer como cenários de contos de fadas.
  2. Trabalhar alguns contos de fadas em língua inglesa.
  3. Promover a interação social em um ambiente seguro e propício ao desenvolvimento de pequenos diálogos e brincadeiras.

 

O material necessário para a atividade é:

Livro Didático Aprende Brasil – Volume 2 – Língua Inglesa, 4 mesas grandes ou médias, projetor, notebook da professora, alguns livros com contos de fadas em língua inglesa, tablets com livros virtuais e interativos, papel a4, lápis de cor, fantasias diversas, caixa de som.

Introdução: Juntar todos os alunos e explicar a eles um panorama geral da atividade, apresentar o tema Fairy Tales e orientar para que eles desenvolvam suas atividades em grupos de quatro integrantes e que depois os grupos circulem pelas estações (que serão divididas por cores) para que todos possam ter as mesmas oportunidades. Nesse momento utilizaremos o livro didático Aprende Brasil volume 2, na parte de Língua Inglesa páginas 2 e 3.

 

The Yellow Station – Mesa com Livros e Tablets   

tarefa: cards / reading / writing

Na estação amarela ocorrerá a leitura dos contos em inglês, talvez eles não consigam entender tudo de início, mas estarão se familiarizando com a língua por meio das palavras e imagens, os alunos poderão escolher os contos de fadas de sua preferência dentre os que estarão disponíveis.

SUGESTÃO: cards      

  

É interessante incluir os contos citados no livro didático, Sleeping Beauty and The Three Little Pigs, acrescentando 2 ou 3, como Jack and the BeanStalk, Snow White, Red Riding Hood, Cinderella. Os alunos devem completar o card com informações sobre o conto (nome, quem, o que, onde, gosto ou não e porquê).

The Blue Station – Fantasias e brincadeiras

tarefa: selfies / game / vocabulary

Na estação azul os alunos encontrarão flashcards com as características das personagens, ou seja (ugly, strong, beautiful, big, weak, bad, etc…) eles escolhem uma fantasia para vestir e poderão brincam com jogo da memória, no qual encontram personagem, nome e adjetivo correspondente.

SUGESTÃO:      selfies

 Os alunos deverão tirar duas selfies com a fantasia e o card com o adjetivo como proposta de tarefa a cumprir na estação. Ao final do percurso, ou na próxima aula, expor para os alunos as selfies em um mural, virtual ou presencial.

The Red Station – Montagem do Livrinho do Material de Apoio

Tarefa: booklet / material de apoio / listening

Na estação vermelha os alunos assistirão ao vídeo em que a professora explica como montar o livrinho “The Three Little Pigs” e também conta a historinha, depois eles mesmos montarão seus próprios livrinhos assistindo ao vídeo novamente e pausando se necessário.

The Pink Station – Teatro

Tarefa: role-play / vídeo / speaking

Na estação rosa os alunos receberão um personagem por meio de um sorteio, eles colocarão a mão em um saco ou caixa de tnt e retirarão um personagem que deverão interpretar na historinha The Three Little Pigs, eles poderão praticar as falas que estarão escritas e também gravadas.

SUGESTÃO: vídeos

Os alunos irão filmar o teatro do qual farão parte. Para envio em um grupo de what’s criado para essa atividade. Ou fica gravado no celular do professor e todos assistem aos vídeos na próxima aula. Pode ser feita votação para a melhor performance.

Por meio dessa estratégia conseguimos envolver os alunos em atividades desafiadoras e divertidas, que trabalham com outras linguagens como visual e digital, performance, trabalho em grupo, criatividade, enfim.

Vale à pena arriscar e tornar a aula mais dinâmica! A rotação por estações permite que os alunos se envolvam nas atividades de maneira ativa, criativa, fazendo escolhas.

Try it! Create! Enjoy!

Cassiana Beghetto

Assessoria de Língua Inglesa

Deixe o seu comentário!

  • Dear Karoline, the activity is very interesting and meaningful! Congratulations! I’m proud of you.
    Would you like to present it in our GT in the coming webseminar “Língua, Literatura e Ensino” of PPGL-UTFPR. It will be on October 5th to 9th? Hope you like the idea and contact us.
    Again, congratualtions!

14/08/2020 - Língua Inglesa

Quarentine, what a l...

Hello, folks! Espero que todos estejam bem nesse período extraordinário que estamos vivendo, cheio de experiências jamais vividas com os alunos. Ainda vamos olhar para trás e dizer: foi um período difícil, mas eu a...

14/08/2020 - Língua Inglesa

Quarentine, what a lovely period of time!

Hello, folks!

Espero que todos estejam bem nesse período extraordinário que estamos vivendo, cheio de experiências jamais vividas com os alunos. Ainda vamos olhar para trás e dizer: foi um período difícil, mas eu aprendi muito!

Enquanto a vacina não vem, vamos aprender e rir juntos das situações que vivemos. Na maioria das vezes, rir é o melhor remédio.  No link a seguir, do Canal Bored Teachers, a professora compartilha esses momentos no vídeo Things we only say when remote teaching. É fácil nos reconhecermos na mesma situação. É algo novo para todo mundo, especialmente para as crianças. Convido a assistir ao vídeo.

E mais, vamos nos identificar também com esse vídeo. Você sente falta da escola? Dos alunos? E canta sozinha pela casa as músicas em inglês? Quem vive com a gente também acaba aprendendo, veja:

É importante perceber que não estamos sozinhos. Do outro lado do mundo, professores enfrentam as mesmas dificuldades e dilemas diante da situação da pandemia, ainda que estejam em outro país. Professores, queridos, não desanimem. Estamos fazendo o nosso melhor! Vale à pena  perceber que não estamos sozinhos nessa!

Take proper care! 

Virtual hugs!

Cassiana

Assessoria de Língua Inglesa

Deixe o seu comentário!

    • Sim, por isso achei interessante dividir isso com vocês. Estamos vivendo uma realidade diferente de tudo o que já vivenciamos. Mas é importante perceber que não estamos sozinhos. O mundo todo vive esse novo desafio, ensinar nesse período. E de uma maneira ou outra estamos evoluindo, estudando, aprendendo novas técnicas, estratégias, metodologias, dando sempre o melhor!

06/08/2020 - Língua Inglesa

Who likes popcorn?

Naturalmente crianças imitam os adultos, os pais, os professores, as canções, as rimas e os vídeos, aprendendo, de maneira natural, os sons e os ritmos da língua. H. Douglas Brown afirma que uma criança aprende a l...

06/08/2020 - Língua Inglesa

Who likes popcorn?

Naturalmente crianças imitam os adultos, os pais, os professores, as canções, as rimas e os vídeos, aprendendo, de maneira natural, os sons e os ritmos da língua. H. Douglas Brown afirma que uma criança aprende a língua materna por meio da imitação de falas, comportamento, gestos. A imitação é uma das importantes estratégias que a criança utiliza para a aquisição de uma língua estrangeira. Ao aliarmos a imitação e a repetição a um ritmo e uma brincadeira com gestos, damos um contexto a esse novo vocabulário, tornando mais simples para a criança a memorização.

De acordo com Nina Feric, “Using rhythm, rhyme, and categories to organize the information may simplify the learning of any new linguistic unit.” Para aprender inglês, quanto mais rimas e brincadeiras, melhor!

Quem gosta de pipoca? I love popcorn, e por que não ensinar a criançada uma rima sobre pipoca para iniciar uma unidade do livro? Conte que fez um picnic e tudo o que sua filha queria levar era POPCORN! O livro integrado do 2 ano do volume 3 irá apresentar alguns alimentos para se levar a um picnic, mas é claro que você pode contar a história do picnic que quiser.  Veja a atividade do manual de apoio.

  

O livro apresenta alguns alimentos para a criança escolher para levar ao PICNIC. Ela também poderá desenhar outros alimentos se preferir, como POPCORN.

Aqui vai a letra da rima:

“Popcorn, popcorn sizzling in the pan. Shake it up, shake it up, BAM BAM BAM.

Popcorn, popcorn now it’s getting hot! Shake it up, shake it up, POP POP POP.”

Assista ao vídeo e aproveite para ensinar aos alunos mais uma rima divertida!

Deixe o seu comentário!

30/06/2020 - Língua Inglesa

Contar histórias pa...

As histórias movimentam nossos dias, nossa infância, nossas aventuras, nossas idas e vindas da vida adulta, até nossas tristezas, quando desabafamos com alguém. Histórias curam, fazem chorar, fazem rir. E ensinam!! ...

30/06/2020 - Língua Inglesa

Contar histórias para aprender inglês? YES, PLEASE.

As histórias movimentam nossos dias, nossa infância, nossas aventuras, nossas idas e vindas da vida adulta, até nossas tristezas, quando desabafamos com alguém. Histórias curam, fazem chorar, fazem rir. E ensinam!! YES, THEY TEACH! Clássicos ensinam, Shakespeare é contado recontado por meio de mil e uma outras histórias. Por que não ensinar outra língua por meio de histórias?

Sim, sim, sim!! YES, PLEASE!

Nas viagens por esse Brasil lindo, tenho conhecido muita gente fina, elegante e sincera.

Professores maravilhosos, apaixonados pelo que fazem, verdadeiros MAGICIANS! IT’S A KIND OF MAGIC!  Já cantava o Queen.

E eles mal sabem do tesouro que têm em suas mãos. Não precisam da tão inalcançada e temerosa tecnologia para conquistar seus alunos, eles têm coração, alma e vontade.

HEART, SOUL, WILLING TO TEACH.

Vou te contar três histórias.  Aprendi com elas, TEACHERS amadas. “Teacher de inglês”, quer coisa mais brasileira?

 

ONE – THE PINK BAG

Uma delas me contou que trazia para a aula uma bolsa rosa toda brilhante. Essa bolsa rosa, completamente fora de moda, um escândalo, virou uma amiga muito querida das crianças. THE PINK BAG! E toda vez que ela chegava com a PINK BAG as crianças sabiam que teria jogo, e aplaudiam. O combinado era: se a gente terminar a tarefa no livro, a gente brinca com a PINK BAG!  E o que as crianças faziam? Caprichavam mais em seu caderno e livro e letra e cores. Então, ela pegava a PINK BAG e dizia: TIME TO HAVE FUN! Eles se preparavam, atentos. Ela colocava uma música, e entregava a PINK BAG nas mãos do primeiro aluno da fila. ATTENTION! E colocava a música. Começava a euforia! De mãos em mãos a PINK BAG percorria as filas da classe. Sem olhar para trás, para perceber com qual aluno estava, a TEACHER pausava a música. E o sorteado, que estava segurando a bolsa naquele momento, pegava um objeto lá de dentro. E deveria dizer seu nome em inglês. Outra vez eram objetos de países diferentes, e eles deveriam dizer o nome do país em inglês. Eles amavam! Ela trouxe elementos e mecanismos de jogos para a aula: a torcida, o elemento surpresa, ter sorte ou não, regras para brincar, expectativa, emoção e diversão.

Sabia que ela gamificava a aula e nem sabia do termo? Isso mesmo! Aprendendo conteúdo da aula com elementos dos jogos e brincadeiras!

 

Hoje paro por aqui, mas vou te contar os outros exemplos, que carinhosamente as professoras dividiram comigo. Me reconheci na fala delas. A gente faz de tudo para ensinar, não é mesmo? Afinal sabemos ser TEACHERS AND MAGICIANS. No próximo, contamos a outra história.

 

Cassiana

Assessoria de Língua Inglesa

 

Deixe o seu comentário!

  • muito bom a história da bolsinha rosa….fiz uma vez com caixinha de segredos usado como temática maateriais usados no livro…

    • Excelente, Rosa Maria!! As crianças amam essas “magic boxes”! E qualquer conteúdo pode ser trazido ali, não é mesmo? Tem mistério, ativa o pensamento criativo, envolve, desafia, faz a criança brincar aprendendo. Vale à pena!

  • È assim que gosto de trabalhar com meus alunos.Trazendo elementos do cotidiano deles para sala de aula.Ficam mais atentos e respondem melhor os desafios .Sou professora de fundamental 1,e o lúdico é muito importante nas classes…

    • Olá, Rosa Maria! Que bom, que alegria para eles! As crianças precisam ancorar o novo naquilo que já conhecem, e que faz com que estejam seguros diante do que é diferente! Ensinar inglês é construir e reconstrui identidade! Perceber o outro, o diferente, faz com que me reconheça como ser humano! Maravilha que o lúdico esteja presente!

  • É assim que tento fazer sempre com meus alunos,até mesmo trazendo elementos do cotidiano deles para sala de aula

  • Adorei a história da PINK BAG !! Eu trabalho com inglês do 1º ao 5º ano e nos primeiros anos construi um teatrinho e com ele conto pequenas história reinventadas ou clássicos da literatura mesmo. Eles adoravam.

    • Olá, Gilmar! Que bom que gostou! Essa ideia maravilhosa aprendi com uma professora nessas andanças da vida! É perfeita! Ótima ideia recontar, revisitar e reencantar com os clássicos! As crianças adoram! E se eles construirem o material fica ainda mais significativo!

  • Ola´Cassiana, Bem isso mesmo, no ensino fundamental I é comum explorarmos e trabalharmos com gamificação até porque o vocabulário, a pronúncia, a memorização a compreensão flui melhor por meio do compartilhar entre os alunos e correção sem cobrança direta. por meio desta metodologia. O engraçado que ao chegar no fundamental II há uma ruptura e o enfoque cai na teoria e ´cumprimento do conteúdo, permitindo uma aula seca. Quem se desfavorece com isso somos nós, tornando a aula distante e sem desafios. Vou retomar e estender a esse público.

    • Hello, Josi! Brincar, jogar, contar histórias é maravilhoso com as crianças! Sim, é verdade! Com os adolescentes acredito que haja uma mudança de postura, agora não tão abertos a se expor como as crianças. As crianças mergulham sem medo, os adolescentes te olham desconfiados. Mudam os jogos e as brincadeiras, mas veja, nós ainda amamos uma boa história como adultos, não é mesmo? Quem sabe as histórias devam ser um pouco diferentes, um anúncio, um trailler de filme, um youtuber contando algo ou propondo um jogo? Mas a ideia de gamificar a aula pode permanecer, sim!

17/06/2020 - Língua Inglesa

Uso de selfies na au...

Você já pensou em utilizar as selfies na aula de língua inglesa? Hoje nossos alunos utilizam ferramentas e linguagens bem diferentes das que tínhamos acesso quando aprendemos inglês, não é mesmo? É verdade que ne...

17/06/2020 - Língua Inglesa

Uso de selfies na aula de língua inglesa

Você já pensou em utilizar as selfies na aula de língua inglesa?

Hoje nossos alunos utilizam ferramentas e linguagens bem diferentes das que tínhamos acesso quando aprendemos inglês, não é mesmo?

É verdade que nem sempre a tecnologia funciona da maneira ideal nas nossas escolas. Nem sempre o acesso às redes sociais para nosso aluno é uma realidade. No entanto, oferecer ao aluno a chance de reconhecer práticas desse universo de comunicação virtual é direito dele.

A forma com que as pessoas se comunicam hoje nas redes sociais reflete um aspecto de uso da língua, por isso trazer para a sala de aula e discutir essas práticas é uma maneira de deixar a aula mais atraente e significativa para o aluno e, ao mesmo tempo, mantê-lo atualizado em relação ao uso da língua nesses contextos. Observe o que Gavin Dudeney fala sobre a relevância do ensino de língua:

“Para nosso ensino de língua permanecer relevante, nossas aulas têm de abarcar ampla gama de letramentos, que vão bastante além do letramento impresso tradicional. Ensinar língua exclusivamente através do letramento impresso é, nos dias atuais, fraudar nossos estudantes no seu presente e em suas necessidades futuras.” (DUDENEY, 2016, p.19)

É preciso, portanto, considerar as mais variadas formas de comunicação, gêneros discursivos, os diversos suportes onde a língua inglesa está presente e viva. As selfies estão muito presentes na realidade dos alunos. Como podemos utilizar SELFIES na aula de inglês? Essa linguagem é compreendida tanto pelos alunos dos anos iniciais, quanto dos anos finais, veja:

  1. WHO ARE THEY?

Nos anos iniciais, no 3 ano, volume 2, a unidade do livro didático inicia com um perguntas sobre o álbum de família dos personagens. É provável que hoje, muitas pessoas tenham em casa mais SELFIES no celular do que fotos impressas em álbuns de família. Por isso é interessante apresentar esse vocabulário de família por meio das SELFIES.

Veja exemplos na mídia com personagens de desenhos animados, pergunte ao aluno: WHO ARE THEY? Pratique com os alunos os pronomes HE e SHE. (He is Bart and she is Lisa Simpson). E discuta o parentesco dos dois (brother and sister).

Faça da mesma forma com os personagens de Os Incríveis, Dash and Violet.

2. WHO IS IN THE SELFIE?

Nos anos finais do ensino fundamental, para dar início ao trabalho com BIOGRAFIAS, na unidade do 7 ano, podemos utilizar um anúncio de uma câmera da Samsung, que propõe uma volta ao passado com artistas marcantes, como se estivessem fazendo SELFIES, mas que são famosos por seus autorretratos. Veja,

       

Isso irá provocar a curiosidade dos alunos em relação aos artistas. Explorar o anúncio fazendo perguntas sobre o que sabem sobre esses artistas e ir colocando no quadro o que os alunos falarem sobre eles: profissão, nacionalidade, ano de nascimento, obras famosas, fatos que ocorreram em suas vidas, para então iniciar a escrita ou a leitura da biografia de Frida e de Van Gogh.

 

Utilizar gêneros discursivos presentes nas práticas do dia a dia dos alunos faz com que a língua inglesa seja apresentada, analisada e discutida em uso real de língua. Isso faz toda a diferença para a construção significativa do conhecimento da língua. Muito distante da estratégia de decorar o velho verbo to be ou listas infinitas de vocabulários sem contexto.

Vamos tentar, professores?

Cassiana Beghetto

Assessoria de Língua Inglesa

Deixe o seu comentário!