Últimas Publicações:

16/12/2020 - Geografia

ONU: o Brasil e as q...

Olá professora! Olá professor! Inicio este post, trazendo uma questão  que tem gerado controvérsias dentro e fora do Brasil. Em 12 de Dezembro de 2020, a ONU (Organização das Nações Unidas) juntamente com o Rein...

16/12/2020 - Geografia

ONU: o Brasil e as questões ambientais

Olá professora! Olá professor!

Inicio este post, trazendo uma questão  que tem gerado controvérsias dentro e fora do Brasil. Em 12 de Dezembro de 2020, a ONU (Organização das Nações Unidas) juntamente com o Reino Unido e a  França, promoveram a Cúpula do Clima, cujo objetivo era que governos de vários países apresentassem suas metas de redução de emissões e/ou ações visíveis em prol do ambiente.

Nesta reunião,  77 países foram convidados para dialogar sobre questões climáticas com o objetivo de uma preparação para a COP-26, que é a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. Ela está programada para ser realizada em Glasgow, Reino Unido, de 1 a 12 de novembro de 2021.

Contudo o  Brasil foi deixado de fora desse encontro. O que foi alegado?  A porta-voz da entidade, Alessandra Vellucci, alegou que o país não tem feito expressivas melhorias pelo ambiente, como redução de queimadas e/ou desmatamento. O Brasil não está entre os palestrantes no evento virtual, pois não apresentou nenhum termo que demonstre um efetivo compromisso de proteção ambiental. E quais as consequências dessa exclusão?

A diplomacia brasileira sofre um golpe, pois o país perde credibilidade neste quesito que terá  foco nas próximas décadas. Essa situação não só causa constrangimento ao Itamaraty, como também pode gerar perdas no comércio internacional, pois muitos países têm exigido ampliação dos compromissos ambientais para efetivar suas trocas comerciais. Esta é uma questão que envolve não apenas a diplomacia brasileira, mas sobretudo a proteção ao ambiente, assunto de grande relevância e presente em nossos livros didáticos.

O que achou deste post? Deixe seu comentário.

Equipe Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: @aprendebrasil

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria de Geografia

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em:  25 Março de 2020.
CHADE, Jamil. ONU explica corte de Bolsonaro em cúpula: era só para planos ambiciosos. Disponível em <https://noticias.uol.com.br/colunas/jamil-chade/2020/12/11/onu-explica-corte-de-bolsonaro-em-cupula-era-so-para-planos-ambiciosos.htm> Acesso em: 11 Dez. de 2020.
Imagem disponível em <https://pixabay.com/pt/illustrations/polui%C3%A7%C3%A3o-do-ar-aquecimento-global-4017183/> Acesso em 15 Dez. de 2020.

Deixe o seu comentário!

27/11/2020 - Geografia, História

A Geografia das dife...

Olá professora! Olá professor! O que diferencia um país próspero de um país empobrecido? De acordo com o professor James A. Robinson da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, os fatores que mais contribuem par...

27/11/2020 - Geografia, História

A Geografia das diferenças

Olá professora! Olá professor!

O que diferencia um país próspero de um país empobrecido? De acordo com o professor James A. Robinson da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, os fatores que mais contribuem para o atual quadro de riqueza ou miséria de um país estaria na longa presença de um Estado ineficiente, onde as políticas públicas são ineficazes como baixos investimentos em educação, além de elevados  níveis de corrupção e opressão. Através dos livros de Geografia do Sistema de Ensino Aprende Brasil, é possível em diversos conteúdos conduzir uma análise sobre essa pesquisa, como pode ser observado a seguir:

8o ano/3o. vol./p.10

O pesquisador britânico, ainda aponta para a questão do poder político se concentrar nas mãos de uma elite, que organiza a sociedade em função de seus próprios interesses em detrimento da maioria da população. Ao observarmos a sociedade atual encontramos diversos países, sobretudo os subdesenvolvidos, com esta forma de organização política. Sobre esse assunto, podemos citar  a Primavera Árabe que iniciou em dezembro de 2010  e que se caracterizou por diversas manifestações e protestos contra uma política opressiva, elitista e ineficiente em países do Oriente Médio e Norte da África. Mas vale ressaltar que há inúmeros exemplos atuais em países do continente americano e asiático.

O que achou deste post? Deixe seu comentário.

Equipe Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: @aprendebrasil

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria de Geografia

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em:  25 Março de 2020.
EDMONDS, David. A cidade dividida que ajuda a explicar por que algumas nações fracassam e outras prosperam. Artigo publicado na BBC Big Idea. Disponível em <https://www.bbc.com/portuguese/internacional-54792935> Acesso em 06 Nov. 2020

Deixe o seu comentário!

09/11/2020 - Geografia, História

A Geografia e a expa...

Olá professor! Olá professora! Você sabia que apesar da Pandemia e da necessidade de fechamento do comércio no Brasil e no mundo, o consumo permaneceu elevado? Isso se deve ao e-commerce, isto é, as compras online....

09/11/2020 - Geografia, História

A Geografia e a expansão do e-commerce

Olá professor! Olá professora!

Você sabia que apesar da Pandemia e da necessidade de fechamento do comércio no Brasil e no mundo, o consumo permaneceu elevado? Isso se deve ao e-commerce, isto é, as compras online. Como consequência, no Brasil houve um significativo crescimento deste setor, tanto em termos de faturamento quanto no volume de vendas.

De acordo com a Ebit|Nielsen, o faturamento e as vendas cresceram em torno de 45%. Esse crescimento mostra  o fortalecimento do que já era uma tendência, isto é, o comércio virtual.

Mas, o que isso tem a ver com a Geografia??

Por meio da análise do espaço, podemos verificar alguns fatores que contribuíram para essa ampliação, como:

  • o avanço nos sistemas de comunicação e transportes;
  • a ampliação do acesso da população a tecnologia que promove o estímulo ao comércio online;
  • a segurança nos sistemas de compras e aumento da confiança dos consumidores neste tipo de comércio.

Observa-se portanto que este componente curricular favorece a compreensão das mudanças que se processam na sociedade como um todo. Esta temática, pode ser empregada em vários momentos do ensino de Geografia e por meio dela, podemos também trabalhar com algumas habilidades da BNCC:

  • (EF02GE03) Comparar diferentes meios de transporte e de comunicação, indicando o seu papel na conexão entre lugares, e discutir os riscos para a vida e para o ambiente e seu uso responsável.
  • (EF04GE08) Descrever e discutir o processo de produção (transformação de matérias-primas), circulação e consumo de diferentes produtos.
  • (EF07GE06) Discutir em que medida a produção, a circulação e o consumo de mercadorias provocam impactos ambientais, assim como influem na distribuição de riquezas, em diferentes lugares.
  • (EF08GE09) Analisar os padrões econômicos mundiais de produção, distribuição e intercâmbio dos produtos agrícolas e industrializados, tendo como referência os Estados Unidos da América e os países denominados de Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

O que achou deste post? Deixe seu comentário.

Equipe Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: @aprendebrasil

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria de Geografia

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em:  25 Março de 2020.
PARIZ, Tiago e BICCA, Alexandra. Ebit|Nielsen: e-commerce no Brasil cresce 47% no primeiro trimestre, maior alta em 20 anos. Artigo disponível em <https://static.poder360.com.br/2020/08/EBIT-ecommerce-Brasil-1semestre2020.pdf> Acesso em 16 Out. 2020
Imagem Mediamodifier. Disponível em <https://pixabay.com/pt/photos/ecommerce-venda-on-line-2140603/> Acesso em 26 Out. 2020

Deixe o seu comentário!

26/10/2020 - Geografia

A crise humanitária...

Olá professora! Olá professor! Apesar de não ser mais frequente, o aparecimento de notícias sobre os refugiados na Europa, a crise humanitária ainda persiste neste continente. Recentemente, o campo de refugiados con...

26/10/2020 - Geografia

A crise humanitária dos imigrantes na Grécia

Olá professora! Olá professor!

Apesar de não ser mais frequente, o aparecimento de notícias sobre os refugiados na Europa, a crise humanitária ainda persiste neste continente. Recentemente, o campo de refugiados conhecido como Moria, na Ilha de Lesbos na Grécia, foi palco de um incêndio sem precedentes. Localizada no Mar Egeu,  próxima a Turquia, a localização geográfica desta ilha favorece o ingresso de imigrantes vindos da Ásia e África.  Observe o mapa:

Até o incêndio, viviam ali cerca de 13.000 pessoas em condições subumanas: moradias precárias, esgotos a céu aberto, longas e demoradas filas para conseguir alimentos. Tudo isso em meio a um ambiente hostil, marcado pela violência e preconceito.

Inicialmente, o campo de Moria foi projetado para receber 3.000 pessoas. A sua superlotação favoreceu o desastre e obrigou essa população a viver nas ruas de Lesbos, fato que contribui para o acirramento da violência entre os moradores da ilha e os refugiados.

Este triste episódio, marca mais uma vez, a falta de humanidade dos países europeus frente aos refugiados. E aponta para a necessidade de respeitarmos o outro, independente de suas etnia, religião, nacionalidade, gênero, etc.

O assunto deste post pode ser aplicado em diferentes momentos das aulas de Geografia, pois o deslocamento populacional aparece em praticamente todos os anos do Ensino Fundamental Anos Finais e nos Anos Iniciais, esta temática também aparece, porém de forma mais simples.

O que achou deste post? Deixe seu comentário.

Equipe Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: @aprendebrasil

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria de Geografia

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em:  25 Março de 2020.
GAULMYN, I. As cinzas de Moria. A Europa e os refugiados em apuros na ilha grega de Lesbos. Tradução de Wagner Fernandes de Azevedo. Disponível em <http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/603046-as-cinzas-de-moria-a-europa-e-o-os-refugiados-em-apuros-na-ilha-grega-de-lesbos> Acesso em 15 Out. 2020
Mapa da Europa: https://atlasescolar.ibge.gov.br/images/atlas/mapas_mundo/mundo_planisferio_politico_a3.pdf Acesso em 15 Out. 2020

Deixe o seu comentário!

14/09/2020 - Geografia

Pandemia e mobilidad...

Olá professor! Olá professora! Tudo bem? Início esse post com uma pergunta: o que a Pandemia nos mostra com  relação a mobilidade urbana? Será que as vias públicas foram pensadas para promover um distanciamento s...

14/09/2020 - Geografia

Pandemia e mobilidade urbana

Olá professor! Olá professora! Tudo bem?

Início esse post com uma pergunta: o que a Pandemia nos mostra com  relação a mobilidade urbana? Será que as vias públicas foram pensadas para promover um distanciamento seguro entre as pessoas? Um geógrafo de Toronto,  cidade mais populosa do Canadá, com 5,5 milhões de habitantes, aponta para a dificuldade de caminhar mantendo o afastamento físico recomendado, que seria de cerca de 2 metros. Esse fato evidencia o quanto que as  vias públicas não foram efetivamente pensadas para o cidadão que circula a pé. As calçadas em geral são estreitas e as ruas (marcadas pela presença de uma infinidade de veículos) são perigosas para os pedestres.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) traz um dado alarmante, mais de 1 milhão de pedestres morrem todos os anos em todo o mundo. No que diz respeito a distribuição espacial da população nas cidades brasileiras, percebe-se que em geral, a maior parte da população vive na periferia e é obrigada a realizar diariamente grandes deslocamentos para ter acesso a emprego e serviços.  Diante desses fatos,  tornou-se primordial melhorar as condições dos deslocamentos, seja com a criação/ampliação de ciclovias e/ou de espaços mais seguros para a circulação de pedestres, bem como melhorias do transporte público.

Na América Latina já temos alguns casos de sucesso, em cidades que mesmo durante a Pandemia, criaram mecanismos para melhorar a mobilidade urbana. Em Bogotá, na Colômbia, implementou-se desde março uma rede de ciclovias temporárias, a fim de promover o deslocamento individual em detrimento do coletivo e em Buenos Aires, na Argentina, foram criadas zonas de circulação exclusiva de pessoas entre os bairros mais centrais, estimulando o consumo local com acesso a pé. Este cenário deixa claro que devemos exigir de nossos representantes ações mais efetivas para essa situação. Em breve teremos eleições municipais e nada mais justo, do que exigir desses candidatos, projetos de políticas públicas para a mobilidade urbana.

Essa temática está presente em diferentes contextos do nosso material, desde os Anos Iniciais até os Finais. No 5o ano, por exemplo, o assunto é abordado de forma direta, já no 9o ano o assunto pode ser trabalhado dentro do viés das mudanças climáticas (causas e consequências).

   

O que achou deste post? Deixe seu comentário.

Equipe Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: @aprendebrasil

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria de Geografia

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em:  25 Março de 2020.
SABINO, Letícia. Restrições da pandemia aceleram transformações na mobilidade urnana. Artigo disponível em <https://www.cartacapital.com.br/blogs/sampape/restricoes-da-pandemia-aceleram-transformacoes-na-mobilidade-urbana/> Acesso em 11 Set. 2020

Deixe o seu comentário!

  • Um assunto muito importante a questão da mobilidade, principalmente em tempos de distanciamento , as calçadas são estreitas e o pedestre tem que dividi-la com postes de energia e de placas de trânsito ou de outra natureza. Cabe a nós lutarmos por qualidade de vida também nesse aspecto.

    • Olá Margarida,
      Nós, enquanto cidadãos, temos o direito de exigir políticas públicas que proporcionem melhor qualidade de vida, seja na mobilidade urbana ou no saneamento básico.

17/08/2020 - Geografia

A densidade demográ...

Olá professor! Olá professora! Tudo bem? No post de hoje irei abordar um tema para lá de conhecido. A densidade demográfica. Este índice tem chamado a atenção da saúde pública. Em áreas onde ela é elevada, o ...

17/08/2020 - Geografia

A densidade demográfica e a Pandemia

Olá professor! Olá professora! Tudo bem?

No post de hoje irei abordar um tema para lá de conhecido. A densidade demográfica. Este índice tem chamado a atenção da saúde pública. Em áreas onde ela é elevada, o Coronavírus se espalha tal qual fogo em uma mata. Apesar da Covid-19 não escolher o grupo populacional que irá infectar, o fato é que entre as populações de menor nível socioeconômico, os índices de contaminação são alarmantes. Isso acontece porque para esse grupo, o isolamento social praticamente não existe. Há muitas pessoas que compartilham espaços pequenos e precários, onde o saneamento básico é quase inexistente, permanecem trabalhando, e, por conta disso, utilizando o transporte coletivo.

Isto posto, podemos concluir que seja na América Latina ou em qualquer outra região do planeta, são os grupos mais vulneráveis que sofrem com as adversidades, sejam elas de ordem natural, social ou econômica. Observe o mapa a seguir:

A temática deste artigo pode ser utilizada como gatilho para trabalhar com diferentes conteúdos dos nossos livros, como: desigualdade social, densidade demográfica, crescimento vegetativo, deslocamentos populacionais, redes de transporte e comunicação, políticas públicas. Enfim, são inúmeros assuntos que poderão ser abordados. Além disso, este assunto também está presente na BNCC.  A seguir, o destaque para algumas habilidades que também podem ser trabalhadas:

(EF04GE02) Descrever processos migratórios e suas contribuições para a formação da sociedade brasileira.

(EF05GE03) Identificar as formas e funções das cidades e analisar as mudanças sociais, econômicas e ambientais provocadas pelo seu crescimento.

(EF06GE12) Identificar o consumo dos recursos hídricos e o uso das principais bacias hidrográficas no Brasil e no mundo, enfatizando as transformações nos ambientes urbanos.

(EF07GE04) Analisar a distribuição territorial da população brasileira, considerando a diversidade étnico-cultural (indígena, africana, europeia e asiática), assim como aspectos de renda, sexo e idade nas regiões brasileiras.

(EF08GE03) Analisar aspectos representativos da dinâmica demográfica, considerando características da população (perfil etário, crescimento vegetativo e mobilidade espacial).

(EF09GE15) Comparar e classificar diferentes regiões do mundo com base em informações populacionais, econômicas e socioambientais representadas em mapas temáticos e com diferentes projeções cartográficas.

O que achou deste post? Deixe seu comentário.

Equipe Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: @aprendebrasil

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria de Geografia

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em:  25 Março de 2020.
GALINDO, J. e ARROYO, L. Os mapas da pandemia revelam as desigualdades na América Latina. Artigo disponível em <https://brasil.elpais.com/internacional/2020-08-04/os-mapas-da-pandemia-revelam-as-desigualdades-na-america-latina.html#?sma=newsletter_brasil_diaria20200805> Acesso em 13 Ago. 2020

 

Deixe o seu comentário!

  • A TEMÁTICA ABORDADA É MUITO INTERESSANTE. PRECISAMOS MESMO TRABALHAR ESSE TEMAS PARA QUE O ALUNO PERCEBA QUE AS DIFERENÇAS SOCIAIS EM NOSSA SOCIEDADE. QUANDO ELE SABE O QUANTO É PREJUDICADO POR CAUSA DA FALTA DE POLÍTICAS PÚBLICAS, DÁ A ELE A OPORTUNIDADE DE LUTAR POR UM MUNDO MELHOR.

    • Olá Maria Ângela,
      De fato. Temos que tentar desenvolver em nossos alunos uma consciência crítica, aliás essa é uma das competências gerais da BNCC, desenvolver o pensamento científico, crítico e criativo.