Últimas Publicações:

27/11/2020 - Geografia, História

A Geografia das dife...

Olá professora! Olá professor! O que diferencia um país próspero de um país empobrecido? De acordo com o professor James A. Robinson da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, os fatores que mais contribuem par...

27/11/2020 - Geografia, História

A Geografia das diferenças

Olá professora! Olá professor!

O que diferencia um país próspero de um país empobrecido? De acordo com o professor James A. Robinson da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, os fatores que mais contribuem para o atual quadro de riqueza ou miséria de um país estaria na longa presença de um Estado ineficiente, onde as políticas públicas são ineficazes como baixos investimentos em educação, além de elevados  níveis de corrupção e opressão. Através dos livros de Geografia do Sistema de Ensino Aprende Brasil, é possível em diversos conteúdos conduzir uma análise sobre essa pesquisa, como pode ser observado a seguir:

8o ano/3o. vol./p.10

O pesquisador britânico, ainda aponta para a questão do poder político se concentrar nas mãos de uma elite, que organiza a sociedade em função de seus próprios interesses em detrimento da maioria da população. Ao observarmos a sociedade atual encontramos diversos países, sobretudo os subdesenvolvidos, com esta forma de organização política. Sobre esse assunto, podemos citar  a Primavera Árabe que iniciou em dezembro de 2010  e que se caracterizou por diversas manifestações e protestos contra uma política opressiva, elitista e ineficiente em países do Oriente Médio e Norte da África. Mas vale ressaltar que há inúmeros exemplos atuais em países do continente americano e asiático.

O que achou deste post? Deixe seu comentário.

Equipe Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: @aprendebrasil

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria de Geografia

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em:  25 Março de 2020.
EDMONDS, David. A cidade dividida que ajuda a explicar por que algumas nações fracassam e outras prosperam. Artigo publicado na BBC Big Idea. Disponível em <https://www.bbc.com/portuguese/internacional-54792935> Acesso em 06 Nov. 2020

Deixe o seu comentário!

15/10/2020 - Língua Inglesa

Happy teachers’...

Hello, dear teachers! Gostaria de dizer que mais do que nunca essa data deve ser comemorada! Esse cenário hoje, entristece um pouco… Salas vazias. Mas também enche de saudade! A aula permanece! A alma de professo...

15/10/2020 - Língua Inglesa

Happy teachers’ day!

Hello, dear teachers!

Gostaria de dizer que mais do que nunca essa data deve ser comemorada!

Esse cenário hoje, entristece um pouco… Salas vazias.

Mas também enche de saudade! A aula permanece! A alma de professor está viva!

Imagine um mundo sem professores. O que seria?

Do ponto de vista de alguns…

“that’s a hard question…

sad,

chaos,

no one to look up to…

scary.”

Assista a esse vídeo, “World Without teachers”, em homenagem aos professores do mundo todo, feito há algum tempo por Jubille Media, um dos meus favoritos.

Tenho muito orgulho dos professores com os quais compartilho ideias, aprendo a cada encontro, surpreendo-me sempre com tamanha criatividade e dedicação. E é bem verdade que nessa pandemia todos nós professores nos reinventamos e conseguimos aprender e reinventar muito mais, ainda que com dificuldades de acesso, com distanciamento e ausências. O impossível foi feito para manter o contato, a aula, as atividades, o incentivo aos alunos no ensino remoto.

Professores inspiram. Podem destruir também, sonhos, alegrias, metas. Escolha instigar e despertar sonhos. Esperança.

Professores são “plantadores de esperança”, para Braulio Bessa.

Para Paulo Freire, o professor quando ensina também aprende: “Quem ensina, aprende ao ensinar. Quem aprende, ensina ao aprender.”

Para Malala, “uma criança, um professor, um livro, uma caneta podem mudar o mundo.”

Para Rubem Alves, o professor é aquele que diz “eis aí o mundo!” e ele tem que ter vontade de ensinar o mundo às crianças.

No Brasil, o dia dos professores é comemorado no dia 15 de outubro, mas existe também o dia 5 de outubro, proclamado pela Unesco o dia mundial do professor em 1994. Muitos países comemoram nessa data, mas existem ainda outras datas a serem celebradas em outros países. Ao trabalhar os meses do ano no 5 ano seria curioso explorar quando essa comemoração acontece ao redor do mundo. Veja alguns exemplos:

Mexico – May 15th

Argentina – September 11th

Greece – January 30th

Turkey – November 24th

South Korea – May 15th

Peru – July 6th

Não poderia deixar essa data passar em branco. Fecho com as palavras de Rubem Alves:

“Ensinar é um exercício de imortalidade. A gente ensina, a gente continua a viver.”

Rubem Alves, um imortal educador, professor de sonhos.  Pra ele, cada um tem um céu diferente, feito dos momentos efêmeros de alegria. Eles passam!

Aproveitem as alegrias de ensinar e aprender. Inspirem! Distribuam e compartilhem alegrias.

Abraços festivos!

Keep calm and carry on with the wonderful work you’re doing! 

Cassiana

Assessoria de Língua Inglesa

Deixe o seu comentário!

13/10/2020 - Língua Inglesa

Avaliação no ensin...

E agora, professores? Estamos distantes da escola e dos alunos, da sala de aula enquanto espaço físico. E o tal dia da prova também não está acontecendo diante dos nossos olhos. Mas isso não é problema. “Ah, mas...

13/10/2020 - Língua Inglesa

Avaliação no ensino remoto, qual o caminho?

E agora, professores? Estamos distantes da escola e dos alunos, da sala de aula enquanto espaço físico. E o tal dia da prova também não está acontecendo diante dos nossos olhos. Mas isso não é problema. “Ah, mas o pai ou a mãe irão ajudar na avaliação em casa!” É verdade, em alguns casos, mas isso também não é problema. O aluno estará vivenciando mais uma etapa de aprendizagem, que seria um dos papéis da avaliação.

Estamos todos vivendo um novo tempo. O cuidado aqui, no ensino remoto e nas atividades avaliativas por causa da pandemia, é que continuemos fortes, construindo laços significativos com o aprendizado ao invés de barreiras intransponíveis! Que a escola permaneça, que os alunos não abandonem esse barco, que não percam esse vínculo com o lugar mágico que é a escola.

Lugar, ainda que virtual, de transformação, de alegria, capaz de fazer com que possam ter sonhos e começar ou continuar a acreditarem em si mesmos. Quantos desses alunos passam a ter uma centelha de sonho no ambiente escolar. Então, professores, o que vale agora é o bom senso, lutar e torcer para que o vínculo permaneça, pensar e criar atividades avaliativas possíveis e encorajadoras.

Nesse cenário, seguem alguns conselhos a partir de grandes nomes no contexto da avaliação: Maria Helena Guimarães, Maria Inês Fini, Celso Vasconcellos e Cipriano Luckesi:

  • Registrar tudo o que for realizado por alunos e professores.
  • Considerar diferentes alternativas para atividades criativas: portfólios, vídeos, podcasts, pesquisa colaborativa, perguntas abertas.
  • Avaliar tanto do ponto de vista cognitivo como socioemocional.
  • Potencializar a potência do aluno é tarefa do professor.
  • Avaliar pode ser um ato transformador!

É preciso acolher os alunos! Dar espaço para a criatividade. Pensar em como se comunicam hoje em sua rotina. Há grandes alternativas e possibilidades para além da avaliação de múltipla escolha. Trazer os gêneros discursivos de todo dia para a sala de aula é uma excelente forma de tornar a aprendizagem e a avaliação mais significativas. Já pensou o aluno vibrar com acertos da mesma forma que faz quando participa de jogos online? Por que não?

Pensar na construção de um currículo de transição, nesse momento, é muito importante. E nesse sentido, vamos recuperar os conteúdos e as aprendizagens desse ano, no ano seguinte. Vamos observar o que é essencial. Vamos ser criativos, mas também aprender com os alunos. O que importa aqui não são conteúdos avaliados. Coragem, professores! Afeto, braços abertos, acolhimento. É importante abrir espaço para a criatividade e a criação. Sugestões:

  • Produção de pequenos vídeos
  • Podcasts
  • Poster
  • Fotos com comentários em um mural colaborativo
  • Timeline
  • Quadrinhos
  • Entrevista
  • Participação ativa num jogo
  • Pesquisa para responder 3 perguntas
  • Comparações e resultados

“Nenhum a menos!” É o que afirma Celso Vasconcellos. Inclusão no processo avaliativo, acolhimento. Abrir portas nesse momento é vital, ao invés de fechá-las para nunca mais.

É preciso lembrar que o maior sentido da avaliação é transformar!

Aprender com ela e por meio dela!

Cassiana Beghetto

Assessoria de Língua Inglesa

Deixe o seu comentário!

09/07/2020 - Ensino Religioso, História

Rios e Civilizaçõe...

Olá Professores e professoras,   Ao trabalharmos As sociedades do Crescente Fértil com os alunos do Ensino Fundamental, que tal estabelecermos uma relação entre os significados atribuídos aos rios nas antigas c...

09/07/2020 - Ensino Religioso, História

Rios e Civilizações: relações sociais e religiosas em sala de aula

Olá Professores e professoras,

 

Ao trabalharmos As sociedades do Crescente Fértil com os alunos do Ensino Fundamental, que tal estabelecermos uma relação entre os significados atribuídos aos rios nas antigas civilizações e na atualidade?

Os livros didáticos do 5º. e 6º. Ano, Volume 1, indicam como os rios foram fundamentais para a formação das primeiras civilizações. Os agrupamentos que se fixaram às margens dos rios foram os que mais se desenvolveram. Em torno dos rios a agricultura desenvolveu-se, concentrando o crescimento das populações. Nas palavras de Heródoto, podemos observar a importância do Nilo para a civilização egípcia, que associava o rio até mesmo às divindades.

 

“Ele traz as provisões deliciosas, cria todas as coisas boas, é o senhor das nutrições agradáveis e escolhidas. Ele produz a forragem para os animais, provê os sacrifícios para todos os deuses” (Heródoto).

 

Para ampliar os recursos didáticos, indicamos um vídeo elaborados pela professora Priscila Grahl, veja:

 

Vídeo As Cheias do Rio Nilo, para acessar basta clicar aqui.

 

Vale destacar, também, duas imagens, são elas:

 

Imagem 1: Uma vinheta do Livro dos Mortos de Nakhte, um escriba importante. O homem morto e sua esposa estão diante de Osíris no jardim de sua casa. A casa é construída sobre uma plataforma de proteção contra umidade e acima do nível da inundação. A piscina do jardim é cercada por árvores e palmeiras de data. Egito , Antigo Egípcio. 18a dinastia por volta de 1550-1295 a.C.

Uma vinheta do Livro dos Mortos de Nakhte, um escriba importante. Fotografia. Britannica ImageQuest, Encyclopædia Britannica, 2 Mar 2017. quest.eb.com/search/185_931341/1/185_931341/cite. Acessado em 9 Jun 2020.

 

Imagem 2: Rio Nilo, Luxor, Egito, como visto da Estação Espacial Internacional (ISS). O norte é para o canto inferior esquerdo. Os campos agrícolas (verdes) são sustentados pelas águas do Nilo (azul escuro) à medida que flui da direita para a esquerda através do deserto (marrom). Este trecho do rio tem vários quilômetros de extensão, e passa pela cidade de Luxor (cinza, centro-esquerda) e suas ruínas egípcias antigas, uma das principais atrações turísticas do Egito. O Aeroporto Internacional de Luxor (à esquerda superior, à beira do deserto), e o Vale dos Reis (centro inferior) também são vistos. A ISS orbita cerca de 380 km acima da Terra. Fotografado em 2007, durante a Expedição 15 para a ISS.

Rio Nilo, Luxor, Egito. Fotografia. Britannica ImageQuest, Encyclopædia Britannica, 25 Mai 2016. quest.eb.com/search/132_1235366/1/132_1235366/cite. Acessado em 9 Jun 2020.

 

1 Com base nesses apontamentos, quais mudanças e permanências poderíamos observar nas representações sobre o Nilo no passado e no presente?

2 Qual lugar os rios ocupam na economia e na organização das cidades atuais?

3 Como as pessoas se relacionam com eles?

4 Rios e outros elementos da natureza estão associados as religiões de hoje?

 

Desejamos bons debates e estudos com os alunos!

 

O que achou da proposta? Compartilhe conosco nos comentários.

 

 

Equipe Assessoria de História

 

Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil

Deixe o seu comentário!

  • Gostei muito !O estudo dos rios mexe c o imaginário. Propicia conhecer lendas , crenças e valores da humanidade .Podemos pesquisar fontes históricas e reconhecer mudanças e permanências através dessa proposta de ensino.

  • Gostei muito da proposta. As mudanças e permanências são sempre ótimas opções de pesquisa .Os rios trazem consigo muitos ensinamentos e histórias q refletem diretamente na cultura , religião, crenças e comportamentos .Levar cada vez mais nossos alunos a pesquisarem e conhecerem rios lendas e ensinamentos q estuda -los nos traz .

  • i muito válida a proposta apresentada .Atraves de atividades como essa , podemos propiciar aos alunos várias aprendizagens .Fazer comparações entre o “ontem e o “hoje, levantar hipóteses, perceber as mudanças acontecidas na humanidade através de documentos históricos, estimular o atitude de pesquisa e perceber como a história se transforma através dos tempos .Pretendo ler e saber mais de propostas de atividades como essa .

  • Achei muito válida a proposta apresentada .Atraves de atividades como essa , podemos propiciar aos alunos várias aprendizagens .Fazer comparações entre o “ontem e o “hoje, levantar hipóteses, perceber as mudanças acontecidas na humanidade através de documentos históricos, estimular o atitude de pesquisa e perceber como a história se transforma através dos tempos .Pretendo ler e saber mais de propostas de atividades como essa .

  • Gostei muito da proposta. Atividades como essa propiciam aos alunos fazer comparações e levantar hipóteses sobre o “ontem e o “hoje

  • [* O plugin Shield marcou este comentário como “Trash”. Motivo: Teste Bot Falhado (caixa de seleção) *]
    matéria que faz sonhar com um mundo antigo cheio de mistério e valores para nossa cultura

    • Augustina
      É verdade. Estimula o imaginário, elemento muito importante para aprender e estudar ciências humanas.

  • Essa parte da história é muito fantástica e cheia de mistérios. E essa proposta é maravilhosa para despertar o interesse dos educandos e consolidar o conhecimento sobre a História Antiga.

    • Olá Jádna
      Isso mesmo, estimular o interesse e a curiosidade das nossas crianças é imprescindível!

30/06/2020 - Língua Inglesa

Contar histórias pa...

As histórias movimentam nossos dias, nossa infância, nossas aventuras, nossas idas e vindas da vida adulta, até nossas tristezas, quando desabafamos com alguém. Histórias curam, fazem chorar, fazem rir. E ensinam!! ...

30/06/2020 - Língua Inglesa

Contar histórias para aprender inglês? YES, PLEASE.

As histórias movimentam nossos dias, nossa infância, nossas aventuras, nossas idas e vindas da vida adulta, até nossas tristezas, quando desabafamos com alguém. Histórias curam, fazem chorar, fazem rir. E ensinam!! YES, THEY TEACH! Clássicos ensinam, Shakespeare é contado recontado por meio de mil e uma outras histórias. Por que não ensinar outra língua por meio de histórias?

Sim, sim, sim!! YES, PLEASE!

Nas viagens por esse Brasil lindo, tenho conhecido muita gente fina, elegante e sincera.

Professores maravilhosos, apaixonados pelo que fazem, verdadeiros MAGICIANS! IT’S A KIND OF MAGIC!  Já cantava o Queen.

E eles mal sabem do tesouro que têm em suas mãos. Não precisam da tão inalcançada e temerosa tecnologia para conquistar seus alunos, eles têm coração, alma e vontade.

HEART, SOUL, WILLING TO TEACH.

Vou te contar três histórias.  Aprendi com elas, TEACHERS amadas. “Teacher de inglês”, quer coisa mais brasileira?

 

ONE – THE PINK BAG

Uma delas me contou que trazia para a aula uma bolsa rosa toda brilhante. Essa bolsa rosa, completamente fora de moda, um escândalo, virou uma amiga muito querida das crianças. THE PINK BAG! E toda vez que ela chegava com a PINK BAG as crianças sabiam que teria jogo, e aplaudiam. O combinado era: se a gente terminar a tarefa no livro, a gente brinca com a PINK BAG!  E o que as crianças faziam? Caprichavam mais em seu caderno e livro e letra e cores. Então, ela pegava a PINK BAG e dizia: TIME TO HAVE FUN! Eles se preparavam, atentos. Ela colocava uma música, e entregava a PINK BAG nas mãos do primeiro aluno da fila. ATTENTION! E colocava a música. Começava a euforia! De mãos em mãos a PINK BAG percorria as filas da classe. Sem olhar para trás, para perceber com qual aluno estava, a TEACHER pausava a música. E o sorteado, que estava segurando a bolsa naquele momento, pegava um objeto lá de dentro. E deveria dizer seu nome em inglês. Outra vez eram objetos de países diferentes, e eles deveriam dizer o nome do país em inglês. Eles amavam! Ela trouxe elementos e mecanismos de jogos para a aula: a torcida, o elemento surpresa, ter sorte ou não, regras para brincar, expectativa, emoção e diversão.

Sabia que ela gamificava a aula e nem sabia do termo? Isso mesmo! Aprendendo conteúdo da aula com elementos dos jogos e brincadeiras!

 

Hoje paro por aqui, mas vou te contar os outros exemplos, que carinhosamente as professoras dividiram comigo. Me reconheci na fala delas. A gente faz de tudo para ensinar, não é mesmo? Afinal sabemos ser TEACHERS AND MAGICIANS. No próximo, contamos a outra história.

 

Cassiana

Assessoria de Língua Inglesa

 

Deixe o seu comentário!

  • muito bom a história da bolsinha rosa….fiz uma vez com caixinha de segredos usado como temática maateriais usados no livro…

    • Excelente, Rosa Maria!! As crianças amam essas “magic boxes”! E qualquer conteúdo pode ser trazido ali, não é mesmo? Tem mistério, ativa o pensamento criativo, envolve, desafia, faz a criança brincar aprendendo. Vale à pena!

  • È assim que gosto de trabalhar com meus alunos.Trazendo elementos do cotidiano deles para sala de aula.Ficam mais atentos e respondem melhor os desafios .Sou professora de fundamental 1,e o lúdico é muito importante nas classes…

    • Olá, Rosa Maria! Que bom, que alegria para eles! As crianças precisam ancorar o novo naquilo que já conhecem, e que faz com que estejam seguros diante do que é diferente! Ensinar inglês é construir e reconstrui identidade! Perceber o outro, o diferente, faz com que me reconheça como ser humano! Maravilha que o lúdico esteja presente!

  • É assim que tento fazer sempre com meus alunos,até mesmo trazendo elementos do cotidiano deles para sala de aula

  • Adorei a história da PINK BAG !! Eu trabalho com inglês do 1º ao 5º ano e nos primeiros anos construi um teatrinho e com ele conto pequenas história reinventadas ou clássicos da literatura mesmo. Eles adoravam.

    • Olá, Gilmar! Que bom que gostou! Essa ideia maravilhosa aprendi com uma professora nessas andanças da vida! É perfeita! Ótima ideia recontar, revisitar e reencantar com os clássicos! As crianças adoram! E se eles construirem o material fica ainda mais significativo!

  • Ola´Cassiana, Bem isso mesmo, no ensino fundamental I é comum explorarmos e trabalharmos com gamificação até porque o vocabulário, a pronúncia, a memorização a compreensão flui melhor por meio do compartilhar entre os alunos e correção sem cobrança direta. por meio desta metodologia. O engraçado que ao chegar no fundamental II há uma ruptura e o enfoque cai na teoria e ´cumprimento do conteúdo, permitindo uma aula seca. Quem se desfavorece com isso somos nós, tornando a aula distante e sem desafios. Vou retomar e estender a esse público.

    • Hello, Josi! Brincar, jogar, contar histórias é maravilhoso com as crianças! Sim, é verdade! Com os adolescentes acredito que haja uma mudança de postura, agora não tão abertos a se expor como as crianças. As crianças mergulham sem medo, os adolescentes te olham desconfiados. Mudam os jogos e as brincadeiras, mas veja, nós ainda amamos uma boa história como adultos, não é mesmo? Quem sabe as histórias devam ser um pouco diferentes, um anúncio, um trailler de filme, um youtuber contando algo ou propondo um jogo? Mas a ideia de gamificar a aula pode permanecer, sim!

31/03/2020 - História

Mary Seacole: histó...

Olá!   Anteriormente falamos sobre os preconceitos que a profissão da enfermagem já sofreu ao longo da história. Para isso destacamos a biografia de Florence de Nightingale. Sabendo que Florence, mesmo pertence...

31/03/2020 - História

Mary Seacole: história de uma enfermeira

Olá!

 

Anteriormente falamos sobre os preconceitos que a profissão da enfermagem já sofreu ao longo da história. Para isso destacamos a biografia de Florence de Nightingale.

Sabendo que Florence, mesmo pertencendo a uma família rica, teve dificuldades para exercer a profissão e sofreu preconceito, imagine falarmos de uma mulher negra de origem jamaicana que viveu na mesma época?

Estamos falando de Mary Seacole (Kingston – Jamaica, 23 de novembro de 1805 — Londres – Inglaterra, 14 de maio de 1881). Ainda na infância foi para Inglaterra, era filha de um soldado escocês e acompanhava a mãe nos cuidados de soldados inválidos.

 

Mary Seacole
Fonte: National Geographic

 

Como era mestiça, Mary não podia votar e era proibida de ter algumas profissões.

Durante viagens pela América Central aprendeu técnicas de medicina tradicional e soube articulá-las com a medicina europeia.

Ela se alistou para ser voluntária na Guerra da Crimeia, na equipe de Florence de Nightingale, porém foi recusada. Mesmo assim foi por conta própria trabalhar juntamente aos soldados feridos.

Em 1857 publicou suas memórias “As maravilhosas aventuras da Sra. Seacole em muitas terras”.

 

Quer conhecer mais da história de Mary leia:

 

Livro Grandes Mulheres que Mudaram o Mundo

Livro The Extraordinary Life of Mary Seacole

 

Já conhecia a história de Mary Seacole? Acompanhe nossas postagens, pois vamos apresentar sugestões sobre como abordar a história dela e da Florence nas aulas de História a outras disciplinas.

 

Equipe Assessoria de História

 

Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil

 

Referências:
BBC. Mary Seacole (1805-1881). História. Disponível em: <http://www.bbc.co.uk/history/historic_figures/seacole_mary.shtml>. Acesso em: 25 mar 2020.

Deixe o seu comentário!

  • Olá! Não conhecia a a história de Mary Seacole! Desde aquela época já existiam mulheres corajosas batalhando por um ideal! Obrigada por compartilhar assuntos tão instigantes que ampliam o conhecimento de todos! Abs

    • Sim, Adrianna. Infelizmente, por muitos anos a história destas mulheres ficaram “escondidas”. Mas, aos poucos começam a ser resgatadas e, principalmente ensinadas em sala de aula. 😉
      Abraço, Camila

    • Olá Professora
      Acompanhe nossas próximas postagens, pois vamos apresentar outras história incríveis, inclusive com dicas de filmes 😉
      Abraço, Camila