Últimas Publicações:

24/09/2020 - Língua Inglesa

Padlet nas aulas de ...

Hello, everyone!!! How are you doing? I hope you are really good! Learning new things and rhythms! Por aqui estamos a mil por hora! A cada dia nos surpreendendo com a criação dos professores e a sua paixão por ensinar...

24/09/2020 - Língua Inglesa

Padlet nas aulas de inglês – um mural interativo para criar e compartilhar

Hello, everyone!!!

How are you doing? I hope you are really good! Learning new things and rhythms!

Por aqui estamos a mil por hora! A cada dia nos surpreendendo com a criação dos professores e a sua paixão por ensinar.

Em nossa formação digital, no curso Inglês com jogos e brincadeiras estamos trabalhando o conceito e algumas possibilidades de gamificação.

Para conseguir um mural colaborativo e postar atividades, imagens, textos, vídeos, utilizamos o Padlet. O Padlet é uma ferramenta online que funciona como mural interativo e permite criar um espaço onde professor e alunos podem interagir postando ideias, vídeos, links, imagens, comentando e dando like nas outras postagens. E você pode utilizar facilmente no Google Classroom ou enviar link e QR code para compartilhamento.

Fizemos um Padlet para o curso, sobre gamificação. Visite e veja!

https://padlet.com/cassianabeghetto/rimkj1b1r9gk05oh

É possível salvar todas as publicações do mural em PDF, no formato de jornal, revista.

         

A professora Maria Luciana de Brito Martins foi logo criar o dela para usar em suas aulas! Veja:

Professores que aprendem, criam, aproveitam a oportunidade, fazem a diferença!

Parabéns, Luciana!

Go for it!

The students need teachers like that!

Deixe o seu comentário!

14/09/2020 - Geografia

Pandemia e mobilidad...

Olá professor! Olá professora! Tudo bem? Início esse post com uma pergunta: o que a Pandemia nos mostra com  relação a mobilidade urbana? Será que as vias públicas foram pensadas para promover um distanciamento s...

14/09/2020 - Geografia

Pandemia e mobilidade urbana

Olá professor! Olá professora! Tudo bem?

Início esse post com uma pergunta: o que a Pandemia nos mostra com  relação a mobilidade urbana? Será que as vias públicas foram pensadas para promover um distanciamento seguro entre as pessoas? Um geógrafo de Toronto,  cidade mais populosa do Canadá, com 5,5 milhões de habitantes, aponta para a dificuldade de caminhar mantendo o afastamento físico recomendado, que seria de cerca de 2 metros. Esse fato evidencia o quanto que as  vias públicas não foram efetivamente pensadas para o cidadão que circula a pé. As calçadas em geral são estreitas e as ruas (marcadas pela presença de uma infinidade de veículos) são perigosas para os pedestres.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) traz um dado alarmante, mais de 1 milhão de pedestres morrem todos os anos em todo o mundo. No que diz respeito a distribuição espacial da população nas cidades brasileiras, percebe-se que em geral, a maior parte da população vive na periferia e é obrigada a realizar diariamente grandes deslocamentos para ter acesso a emprego e serviços.  Diante desses fatos,  tornou-se primordial melhorar as condições dos deslocamentos, seja com a criação/ampliação de ciclovias e/ou de espaços mais seguros para a circulação de pedestres, bem como melhorias do transporte público.

Na América Latina já temos alguns casos de sucesso, em cidades que mesmo durante a Pandemia, criaram mecanismos para melhorar a mobilidade urbana. Em Bogotá, na Colômbia, implementou-se desde março uma rede de ciclovias temporárias, a fim de promover o deslocamento individual em detrimento do coletivo e em Buenos Aires, na Argentina, foram criadas zonas de circulação exclusiva de pessoas entre os bairros mais centrais, estimulando o consumo local com acesso a pé. Este cenário deixa claro que devemos exigir de nossos representantes ações mais efetivas para essa situação. Em breve teremos eleições municipais e nada mais justo, do que exigir desses candidatos, projetos de políticas públicas para a mobilidade urbana.

Essa temática está presente em diferentes contextos do nosso material, desde os Anos Iniciais até os Finais. No 5o ano, por exemplo, o assunto é abordado de forma direta, já no 9o ano o assunto pode ser trabalhado dentro do viés das mudanças climáticas (causas e consequências).

   

O que achou deste post? Deixe seu comentário.

Equipe Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: @aprendebrasil

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria de Geografia

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em:  25 Março de 2020.
SABINO, Letícia. Restrições da pandemia aceleram transformações na mobilidade urnana. Artigo disponível em <https://www.cartacapital.com.br/blogs/sampape/restricoes-da-pandemia-aceleram-transformacoes-na-mobilidade-urbana/> Acesso em 11 Set. 2020

Deixe o seu comentário!

  • Um assunto muito importante a questão da mobilidade, principalmente em tempos de distanciamento , as calçadas são estreitas e o pedestre tem que dividi-la com postes de energia e de placas de trânsito ou de outra natureza. Cabe a nós lutarmos por qualidade de vida também nesse aspecto.

    • Olá Margarida,
      Nós, enquanto cidadãos, temos o direito de exigir políticas públicas que proporcionem melhor qualidade de vida, seja na mobilidade urbana ou no saneamento básico.

17/08/2020 - Geografia

A densidade demográ...

Olá professor! Olá professora! Tudo bem? No post de hoje irei abordar um tema para lá de conhecido. A densidade demográfica. Este índice tem chamado a atenção da saúde pública. Em áreas onde ela é elevada, o ...

17/08/2020 - Geografia

A densidade demográfica e a Pandemia

Olá professor! Olá professora! Tudo bem?

No post de hoje irei abordar um tema para lá de conhecido. A densidade demográfica. Este índice tem chamado a atenção da saúde pública. Em áreas onde ela é elevada, o Coronavírus se espalha tal qual fogo em uma mata. Apesar da Covid-19 não escolher o grupo populacional que irá infectar, o fato é que entre as populações de menor nível socioeconômico, os índices de contaminação são alarmantes. Isso acontece porque para esse grupo, o isolamento social praticamente não existe. Há muitas pessoas que compartilham espaços pequenos e precários, onde o saneamento básico é quase inexistente, permanecem trabalhando, e, por conta disso, utilizando o transporte coletivo.

Isto posto, podemos concluir que seja na América Latina ou em qualquer outra região do planeta, são os grupos mais vulneráveis que sofrem com as adversidades, sejam elas de ordem natural, social ou econômica. Observe o mapa a seguir:

A temática deste artigo pode ser utilizada como gatilho para trabalhar com diferentes conteúdos dos nossos livros, como: desigualdade social, densidade demográfica, crescimento vegetativo, deslocamentos populacionais, redes de transporte e comunicação, políticas públicas. Enfim, são inúmeros assuntos que poderão ser abordados. Além disso, este assunto também está presente na BNCC.  A seguir, o destaque para algumas habilidades que também podem ser trabalhadas:

(EF04GE02) Descrever processos migratórios e suas contribuições para a formação da sociedade brasileira.

(EF05GE03) Identificar as formas e funções das cidades e analisar as mudanças sociais, econômicas e ambientais provocadas pelo seu crescimento.

(EF06GE12) Identificar o consumo dos recursos hídricos e o uso das principais bacias hidrográficas no Brasil e no mundo, enfatizando as transformações nos ambientes urbanos.

(EF07GE04) Analisar a distribuição territorial da população brasileira, considerando a diversidade étnico-cultural (indígena, africana, europeia e asiática), assim como aspectos de renda, sexo e idade nas regiões brasileiras.

(EF08GE03) Analisar aspectos representativos da dinâmica demográfica, considerando características da população (perfil etário, crescimento vegetativo e mobilidade espacial).

(EF09GE15) Comparar e classificar diferentes regiões do mundo com base em informações populacionais, econômicas e socioambientais representadas em mapas temáticos e com diferentes projeções cartográficas.

O que achou deste post? Deixe seu comentário.

Equipe Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: @aprendebrasil

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria de Geografia

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em:  25 Março de 2020.
GALINDO, J. e ARROYO, L. Os mapas da pandemia revelam as desigualdades na América Latina. Artigo disponível em <https://brasil.elpais.com/internacional/2020-08-04/os-mapas-da-pandemia-revelam-as-desigualdades-na-america-latina.html#?sma=newsletter_brasil_diaria20200805> Acesso em 13 Ago. 2020

 

Deixe o seu comentário!

  • A TEMÁTICA ABORDADA É MUITO INTERESSANTE. PRECISAMOS MESMO TRABALHAR ESSE TEMAS PARA QUE O ALUNO PERCEBA QUE AS DIFERENÇAS SOCIAIS EM NOSSA SOCIEDADE. QUANDO ELE SABE O QUANTO É PREJUDICADO POR CAUSA DA FALTA DE POLÍTICAS PÚBLICAS, DÁ A ELE A OPORTUNIDADE DE LUTAR POR UM MUNDO MELHOR.

    • Olá Maria Ângela,
      De fato. Temos que tentar desenvolver em nossos alunos uma consciência crítica, aliás essa é uma das competências gerais da BNCC, desenvolver o pensamento científico, crítico e criativo.

22/06/2020 - Geografia

Competências socioe...

Olá professores! Tudo bem? Com certeza você já ouviu alguém dizer que o copo pode estar meio cheio ou meio vazio, depende do olhar de quem o observa. Pois bem, no vídeo desta semana, abordarei brevemente sobre o Au...

22/06/2020 - Geografia

Competências socioemocionais – Autoconhecimento

Olá professores! Tudo bem?

Com certeza você já ouviu alguém dizer que o copo pode estar meio cheio ou meio vazio, depende do olhar de quem o observa. Pois bem, no vídeo desta semana, abordarei brevemente sobre o Autoconhecimento e como ele é importante para a nossa saúde mental. Para assisti-lo clique no link a seguir: https://www.youtube.com/watch?v=RqT4Zn8avs0&feature=youtu.be

Até o próximo post!

Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br

Siga nossas redes socias:@aprendebrasil

Deixe o seu comentário!

17/06/2020 - Língua Inglesa

Uso de selfies na au...

Você já pensou em utilizar as selfies na aula de língua inglesa? Hoje nossos alunos utilizam ferramentas e linguagens bem diferentes das que tínhamos acesso quando aprendemos inglês, não é mesmo? É verdade que ne...

17/06/2020 - Língua Inglesa

Uso de selfies na aula de língua inglesa

Você já pensou em utilizar as selfies na aula de língua inglesa?

Hoje nossos alunos utilizam ferramentas e linguagens bem diferentes das que tínhamos acesso quando aprendemos inglês, não é mesmo?

É verdade que nem sempre a tecnologia funciona da maneira ideal nas nossas escolas. Nem sempre o acesso às redes sociais para nosso aluno é uma realidade. No entanto, oferecer ao aluno a chance de reconhecer práticas desse universo de comunicação virtual é direito dele.

A forma com que as pessoas se comunicam hoje nas redes sociais reflete um aspecto de uso da língua, por isso trazer para a sala de aula e discutir essas práticas é uma maneira de deixar a aula mais atraente e significativa para o aluno e, ao mesmo tempo, mantê-lo atualizado em relação ao uso da língua nesses contextos. Observe o que Gavin Dudeney fala sobre a relevância do ensino de língua:

“Para nosso ensino de língua permanecer relevante, nossas aulas têm de abarcar ampla gama de letramentos, que vão bastante além do letramento impresso tradicional. Ensinar língua exclusivamente através do letramento impresso é, nos dias atuais, fraudar nossos estudantes no seu presente e em suas necessidades futuras.” (DUDENEY, 2016, p.19)

É preciso, portanto, considerar as mais variadas formas de comunicação, gêneros discursivos, os diversos suportes onde a língua inglesa está presente e viva. As selfies estão muito presentes na realidade dos alunos. Como podemos utilizar SELFIES na aula de inglês? Essa linguagem é compreendida tanto pelos alunos dos anos iniciais, quanto dos anos finais, veja:

  1. WHO ARE THEY?

Nos anos iniciais, no 3 ano, volume 2, a unidade do livro didático inicia com um perguntas sobre o álbum de família dos personagens. É provável que hoje, muitas pessoas tenham em casa mais SELFIES no celular do que fotos impressas em álbuns de família. Por isso é interessante apresentar esse vocabulário de família por meio das SELFIES.

Veja exemplos na mídia com personagens de desenhos animados, pergunte ao aluno: WHO ARE THEY? Pratique com os alunos os pronomes HE e SHE. (He is Bart and she is Lisa Simpson). E discuta o parentesco dos dois (brother and sister).

Faça da mesma forma com os personagens de Os Incríveis, Dash and Violet.

2. WHO IS IN THE SELFIE?

Nos anos finais do ensino fundamental, para dar início ao trabalho com BIOGRAFIAS, na unidade do 7 ano, podemos utilizar um anúncio de uma câmera da Samsung, que propõe uma volta ao passado com artistas marcantes, como se estivessem fazendo SELFIES, mas que são famosos por seus autorretratos. Veja,

       

Isso irá provocar a curiosidade dos alunos em relação aos artistas. Explorar o anúncio fazendo perguntas sobre o que sabem sobre esses artistas e ir colocando no quadro o que os alunos falarem sobre eles: profissão, nacionalidade, ano de nascimento, obras famosas, fatos que ocorreram em suas vidas, para então iniciar a escrita ou a leitura da biografia de Frida e de Van Gogh.

 

Utilizar gêneros discursivos presentes nas práticas do dia a dia dos alunos faz com que a língua inglesa seja apresentada, analisada e discutida em uso real de língua. Isso faz toda a diferença para a construção significativa do conhecimento da língua. Muito distante da estratégia de decorar o velho verbo to be ou listas infinitas de vocabulários sem contexto.

Vamos tentar, professores?

Cassiana Beghetto

Assessoria de Língua Inglesa

Deixe o seu comentário!

15/06/2020 - Geografia

Competências socioe...

Olá professor! Olá professora! Tudo bem? Como você está cuidando da sua saúde mental nesse período de quarentena? Que tal refletir sobre algumas das competências socioemocionais ? Para isso CLIQUE AQUI E então, ...

15/06/2020 - Geografia

Competências socioemocionais

Olá professor! Olá professora!

Tudo bem?

Como você está cuidando da sua saúde mental nesse período de quarentena? Que tal refletir sobre algumas das competências socioemocionais ? Para isso CLIQUE AQUI

E então, o que achou? Não deixe de compartilhar.

Até o próximo post!

Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br

Siga nossas redes socias:@aprendebrasil

Deixe o seu comentário!

  • Confesso que com altos e baixos. Tem semana que consigo me organizar (afazeres) e pratico alongamento, exercícios físicos e meditação. Procuro tira um dia pra fazer nada e alguns para pesquisar uma forma de melhorar minhas aula. As vezes isso não acontece como quinze dias atras q tive q fazer quarentena por meu marido ter tido contato com uma pessoa com covid. Nessa hora cheia de serviço de casa acumulado e de aula tb,não fiz absolutamente nada de meditacao, exercícios ,rsrs

    • Bom dia Carla,
      Estes dias de Quarentena não tem sido fáceis para todos nós. Muitas mudanças e aprendizagens. Mas o importante é continuarmos remando, pois como se diz, tudo passa nesta vida. Força e fé sempre. Bjos com carinho