Últimas Publicações:

23/03/2021 - Língua Inglesa

Yes, nós temos down...

Good morning, everyone! Vim aqui para divulgar a boa notícia! Já temos todos os áudios do material didático de língua inglesa para download, facilitando o planejamento e o andamento das aulas! Visite a plataforma do...

23/03/2021 - Língua Inglesa

Yes, nós temos download!

Good morning, everyone!

Vim aqui para divulgar a boa notícia!

Já temos todos os áudios do material didático de língua inglesa para download, facilitando o planejamento e o andamento das aulas!

Visite a plataforma do Aprende Brasil Digital e desfrute de mais essa vantagem em utilizar o material didático do Sistema de Ensino Aprende Brasil!

Lembre também de incluir em seu planejamento as videoaulas, os objetos educacionais e as trilhas disponíveis também no Aprende Brasil Digital e já selecionadas por volume.

Enjoy it!

Take care!

Cassiana

 

Deixe o seu comentário!

17/03/2021 - Língua Inglesa

Você já ouviu fala...

Hello everyone! Happy Saint Patrick’s day! Hoje, iniciamos com um dizer irlandês: “May your troubles be less. And your blessings be more. And nothing but happiness come through your door.” — Irish blessi...

17/03/2021 - Língua Inglesa

Você já ouviu falar sobre Saint Patrick’s Day?

Hello everyone! Happy Saint Patrick’s day!

Hoje, iniciamos com um dizer irlandês:

“May your troubles be less. And your blessings be more. And nothing but happiness come through your door.” — Irish blessing

Ah, já trabalhei em tantas escolas que não deixavam passar em branco essa data! Traz sorte! Usávamos um trevo de quatro folhas verde na roupa. Alguns usavam verde. E fazíamos muitas atividades divertidas como passar um chapéu de Leprechaun pela sala enquanto a música toca, e ao parar, a criança responder alguma pergunta sobre a Irlanda. Houve também caça-palavras com todo o vocabulário que a data representa data: rainbow, gold, shamrock, Irish, luck, leprechaun, green. Um dos principais símbolos dessa data é o trevo de quatro folhas, shamrock. Acreditam que encontrar um trevo de quatro folhas é um sinal de sorte. Ele é o símbolo nacional da Irlanda.

Você já percebeu que nesse dia, em alguns lugares do mundo as pessoas usam roupas e acessórios verdes? Em New York, the St. Patrick’s Day Parade é a maior do mundo, comemorada desde 1762. Veja algumas das fotos da parada:

 

https://www.lohud.com/story/news/2019/03/16/new-york-city-st-held-its-258th-annual-patricks-day-saturday/3186825002/

Todo ano, a cidade de Chicago, nos Estados Unidos, tinge de verde o Chicago River para comemorar o dia de São Patrício e homenagear a Irlanda – essa tradição acontece há 59 anos, segundo reportagem da ABC News.

ABC News https://abcnews.go.com/US/chicago-limits-st-patricks-day-celebrations-continues-river/story?id=76436645

Saint Patrick é o santo patrono da Irlanda. era inglês e só chegou na Irlanda aos 16 anos. Um dos seus maiores feitos, segundo lendas, é ter banido todas as cobras da Irlanda. A Irlanda é conhecida como Emerald Island (ilha esmeralda) pelo verde das suas colinas. Há ainda o verde da bandeira da Irlanda. Conta a lenda que se você usar verde nesse dia vai evitar de ser beliscado por um Leprechaun, caso encontre um – segundo lendas irlandesas.

Leprechauns são criaturas mágicas, um tipo de fada do folclore irlandês. São arteiros, usam chapéu verde e têm cabelo e barba ruiva. São shoemakers e sabem onde encontrar ouro. Diz a lenda que se você consegue capturar um leprechaun poderá negociar a liberdade dele com seu pote de ouro, que está no final do arco-íris e ele saber como alcançá-lo.

Uma brincadeira que pode ser feita com os alunos é descobrir o nome de seu leprechaun, e assim revisar meses do ano e as letras do alfabeto, no 4 e 5 ano:

Em: https://www.daveswordsofwisdom.com/2015/03/whats-your-lucky-leprechaun-name.html

Além dessa brincadeira dos nomes, você vai encontrar muitas outras atividades e brincadeiras sobre essa data.

Aqui links para muitas atividades!

https://www.education.com/worksheets/st-patricks-day/

https://www.superteacherworksheets.com/reading-comp/3rd-pot-of-gold_POTOG.pdf

https://www.dltk-holidays.com/Patrick/worksheets.htm

“May your heart be light and happy,

May your smile be big and wide,

And may your pockets always have a coin or two.”

Cassiana Beghetto

 

Deixe o seu comentário!

10/02/2021 - Geografia

O êxodo urbano como...

Olá professora! Olá professor! Iniciamos este ano trazendo para o nosso Blog um assunto que tem ganhado destaque: o êxodo urbano, fenômeno  que se intensificou em 2020 com a Pandemia. O curioso desse fato, é que se...

10/02/2021 - Geografia

O êxodo urbano como consequência da Pandemia

Olá professora! Olá professor!

Iniciamos este ano trazendo para o nosso Blog um assunto que tem ganhado destaque: o êxodo urbano, fenômeno  que se intensificou em 2020 com a Pandemia. O curioso desse fato, é que se voltássemos algumas décadas, essa situação seria inimaginável, uma vez que o movimento populacional ocorria no sentido contrário, ou seja, as pessoas se deslocavam para os grandes centros urbanos em busca de oportunidades.

Contudo, estudos recentes apontam para o aumento de pessoas à procura de imóveis em municípios menores. Esta tendência teve início no continente europeu e tem se espalhado pelo mundo, sobretudo pelas grandes metrópoles, como Rio de Janeiro e São Paulo.  Essa mudança de paradigma está diretamente relacionada ao isolamento imposto pela Covid-19, pois muitas pessoas precisaram conciliar o trabalho, o estudo, o lazer, os cuidados com a casa e a família em espaços que antes eram exclusivamente reservados à vida familiar. Com isso, surgem espaços domésticos multifuncionais, isto é, que tem que acomodar toda a família e suas diferentes atividades.

Esse fato provocou em muitas pessoas a necessidade de espaços mais amplos (principalmente as famílias com crianças) e também mais próximos à natureza. Além disso, muitas empresas passaram a adotar em definitivo, o home-office, o que permite que o trabalho seja realizado de qualquer lugar. Outro fator que interferiu para esse deslocamento (temporário ou não) foi a busca por um menor custo de moradia e melhor qualidade de vida (menos trânsito, poluição, violência,…), uma vez que nos grandes centros urbanos os imóveis localizados em áreas com melhor infraestrutura, em geral, têm apresentado  espaços reduzidos (entre 45 e 65 m²) e, ainda, consomem significativa parcela da renda familiar, ou seja, morar bem obriga  gastos elevados.  Este fato atrelado a uma busca por um novo e melhor modo de vida, tem estimulado o êxodo urbano, assunto presente (deslocamentos populacionais) nos livros de Geografia do Sistema de Ensino Aprende Brasil.

O que achou deste post? Deixe seu comentário.

Equipe Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: @aprendebrasil

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria de Geografia

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em:  25 Março de 2020.
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. IBGE Educa. População rural e urbana. Disponível em: <https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/18313-populacao-rural-e-urbana.html>  Acesso em 09 Fev. 2021
Fonte imagens: https://pixabay.com/ Acesso em 09 Fev. 2021

 

Deixe o seu comentário!

08/02/2021 - Língua Inglesa

Descobrindo outras c...

Dear beloved teachers, É com imenso prazer que retornamos com força total! Que seja um ano lindo, com muitos desafios e recompensas! ;D Destacamos aqui a importância de se desenvolver a competência intercultural nas ...

08/02/2021 - Língua Inglesa

Descobrindo outras culturas na aula de língua inglesa

Dear beloved teachers,

É com imenso prazer que retornamos com força total! Que seja um ano lindo, com muitos desafios e recompensas! ;D

Destacamos aqui a importância de se desenvolver a competência intercultural nas aulas de língua inglesa. A Dimensão Intercultural é um dos eixos organizadores da BNCC para a elaboração do currículo das aulas de língua inglesa, aparecendo como item fundamental a ser desenvolvido, em conjunto com os eixos da oralidade, leitura, escrita e os conhecimentos estruturais de vocabulário e gramática.

Para o mês de fevereiro, citamos três festividades que são comemoradas ao redor do mundo:

  1. Ano Novo Chinês (Chinese New Year, on February 12th),

2. Dia dos Namorados (Valentine’s Day, on February 14th)

Perfeita oportunidade para que os alunos considerem enviar cartões para seus amigos na início do ano letivo. E pode ser feito também na forma virtual. Enviando e-mail ou postando um card num mural colaborativo como o Padlet.

3. Dia da Panqueca (Pancake’s Day, on February 16th).

E é claro que, como bons brasileiros, devemos lembrar do Carnaval como imensa, festiva, alegre manifestação cultural do nosso povo.  Preparar quitutes especiais, comprar itens que têm um sentido especial naquela data, vestir fantasias e dançar músicas típicas são alguns dos preparativos para essas celebrações. Que tal propor uma pesquisa e discussão sobre essas festividades? A seguir alguns links e sugestões:

  • Visite o site e responda: afinal o que é a corrida da panqueca?

https://www.historic-uk.com/CultureUK/Pancake-Day/

  • Procure o significado dos itens a seguir no Ano Novo Chinês: fish, tangerine, red lanterns, color red, firecrackers usados na celebração do Ano Novo Chinês.

https://www.topmarks.co.uk/ChineseNewYear/ChineseSymbols.aspx

  • Observe costumes e tradições relacionadas ao Dia dos Namorados em diferentes lugares do mundo. Escolha duas para apresentar aos seus colegas. Anote o nome do país (country) e o costume daquela região (tradition).

https://www.rd.com/list/valentines-day-around-the-world/

De acordo com Edgar Morin, existe um ‘caldo da cultura planetária’ do qual todas as culturas se alimentam. Cada país pode degustar das ideias, ter acesso às obras dos outros países e nutrir-se por meio desse grande caldo mundial.

Que tal proporcionar um momento em que os alunos podem aprender com outras culturas? Desse modo, despertamos a atitude de respeitar, observar, apreciar e reconhecer os valores e costumes das outras e de sua própria cultura.  A aula de língua inglesa é um excelente espaço o desenvolvimento dessa prática.

Nossa sala de aula pode ser uma janela para o mundo, outros saberes, outros sabores, outras culturas!

Aproveite a oportunidade de desenvolver essa competência com seus alunos!

Take care!

“In a gentle way, you can shake the world.” Mahatma Gandhi

Assessoria de Língua Inglesa

Deixe o seu comentário!

16/12/2020 - Geografia

ONU: o Brasil e as q...

Olá professora! Olá professor! Inicio este post, trazendo uma questão  que tem gerado controvérsias dentro e fora do Brasil. Em 12 de Dezembro de 2020, a ONU (Organização das Nações Unidas) juntamente com o Rein...

16/12/2020 - Geografia

ONU: o Brasil e as questões ambientais

Olá professora! Olá professor!

Inicio este post, trazendo uma questão  que tem gerado controvérsias dentro e fora do Brasil. Em 12 de Dezembro de 2020, a ONU (Organização das Nações Unidas) juntamente com o Reino Unido e a  França, promoveram a Cúpula do Clima, cujo objetivo era que governos de vários países apresentassem suas metas de redução de emissões e/ou ações visíveis em prol do ambiente.

Nesta reunião,  77 países foram convidados para dialogar sobre questões climáticas com o objetivo de uma preparação para a COP-26, que é a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. Ela está programada para ser realizada em Glasgow, Reino Unido, de 1 a 12 de novembro de 2021.

Contudo o  Brasil foi deixado de fora desse encontro. O que foi alegado?  A porta-voz da entidade, Alessandra Vellucci, alegou que o país não tem feito expressivas melhorias pelo ambiente, como redução de queimadas e/ou desmatamento. O Brasil não está entre os palestrantes no evento virtual, pois não apresentou nenhum termo que demonstre um efetivo compromisso de proteção ambiental. E quais as consequências dessa exclusão?

A diplomacia brasileira sofre um golpe, pois o país perde credibilidade neste quesito que terá  foco nas próximas décadas. Essa situação não só causa constrangimento ao Itamaraty, como também pode gerar perdas no comércio internacional, pois muitos países têm exigido ampliação dos compromissos ambientais para efetivar suas trocas comerciais. Esta é uma questão que envolve não apenas a diplomacia brasileira, mas sobretudo a proteção ao ambiente, assunto de grande relevância e presente em nossos livros didáticos.

O que achou deste post? Deixe seu comentário.

Equipe Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: @aprendebrasil

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria de Geografia

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em:  25 Março de 2020.
CHADE, Jamil. ONU explica corte de Bolsonaro em cúpula: era só para planos ambiciosos. Disponível em <https://noticias.uol.com.br/colunas/jamil-chade/2020/12/11/onu-explica-corte-de-bolsonaro-em-cupula-era-so-para-planos-ambiciosos.htm> Acesso em: 11 Dez. de 2020.
Imagem disponível em <https://pixabay.com/pt/illustrations/polui%C3%A7%C3%A3o-do-ar-aquecimento-global-4017183/> Acesso em 15 Dez. de 2020.

Deixe o seu comentário!

17/11/2020 - Língua Inglesa

Afinal, o que é lí...

ILF ou ELF O termo ‘inglês como língua franca’, representado pelo acrônimo ILF ou em inglês ELF (English as a lingua franca), refere-se à ideia de que a língua inglesa hoje é mais utilizada em situações que ...

17/11/2020 - Língua Inglesa

Afinal, o que é língua franca?

ILF ou ELF

O termo ‘inglês como língua franca’, representado pelo acrônimo ILF ou em inglês ELF (English as a lingua franca), refere-se à ideia de que a língua inglesa hoje é mais utilizada em situações que envolvem falantes não nativos de inglês do que em situações em que nativos se comunicam. Ou seja, ela não pertence àquela comunidade de falantes específica, nem à corte inglesa. Ela é franca, neutra, pertence a quem dela fizer uso.    A BNCC, documento oficial que estabelece habilidades e competências a serem desenvolvidas na educação básica, enfatiza a importância de se esclarecer aos alunos essa característica do inglês como língua franca.

Língua franca, ensino e identidade

Para o professor de língua inglesa é essencial perceber que a língua é social, que ela revela muito da cultura e dos costumes de cada região em que é falada. A língua revela a identidade de um povo. Ao falar, a pessoa revela de onde vem, país, classe social, cultura, estudo, gênero, profissão. À medida em que cada um se expressa, muitas características típicas da sua cultura são reveladas: comportamentos, gestos, sotaques, escolhas de palavras, todos são fatores reveladores. Se a língua é parte da identidade, essa identidade no contato com uma cultura estrangeira é reafirmada, repensada e reconstruída. Por isso é fundamental perceber a importância do uso e do ensino da língua inglesa como língua franca. O professor ensina uma língua com a qual o aluno irá se comunicar tanto para falar com falantes nativos como para falar com estrangeiros. É comprovado que hoje a língua inglesa apresenta mais falantes não-nativos do que nativos.

Inglês internacional, global ou mundial

H. Douglas Brown há alguns anos utilizou a expressão International English para falar dessa característica de língua a ser utilizada além das fronteiras de onde é falada por nativos. World English é o termo que Ragajopalan adotou para explicar a condição da língua inglesa como língua internacional, que não pertence a nenhuma nação. Segundo esse autor, a língua inglesa deixou de ser monopólio dessa ou daquela nação, ela pertence a quem dela fizer uso. Da mesma forma, David Crystal utiliza o termo Global English para explicar o fato de que essa língua é falada em todo o globo. Todos os três autores, que sao referências para formaçao de professores e estudos de metodologia de língua inglesa, discorrem sobre esse aspecto da língua inglesa, o de ser falada no mundo todo por diferentes comunidades que precisam se comunicar, buscando uma neutralidade de sotaques e gírias para que falantes não nativos cheguem a um denominador comum para a comunicação.   Preparar os alunos para enfrentar essa realidade é fundamental. Lembrar que não existe um único código, uma única maneira de falar inglês, um único sotaque a ser considerado o correto, é essencial.

Qual a variante correta de língua inglesa para o ensino?

Respeitar as diferentes variantes e características culturais é fundamental para a comunicação. Ao considerar a aprendizagem de língua materna, parece natural que existam variações, pois somos um país rico em características singulares que definem cada cultura local e cada variante linguística. Diferenciamos naturalmente um gaúcho de um mineiro ou de um carioca. Na língua estrangeira, especialmente o inglês, essa variação carrega uma amplitude ainda maior, dado o número de falantes nativos e não nativos que existem hoje. Sendo assim, nao existe a variante correta para ensinar em sala de aula, como em qualquer outra língua, mesmo a nossa língua portuguesa, não existe o sotaque perfeito ou o mais correto.  Existem variantes que decorrem do ambiente, da cidade, da cultura, do contexto. Mas nenhuma variante está errada em sua pronúncia ou escolha vocabular.

Nas palavras de Falcão,

“É, então, fundamental que o professor compreenda essa relevância e repasse para o aluno a ideia de que não existe a variante ‘certa’ ou ‘errada’, e que não se deve aprender apenas esta ou aquela variação por ser mais popular, ou menos transmitida pelas mídias sociais.”

Carvalho explica e aconselha:

“A meu ver, esse preconceito em torno das diversidades da língua resulta, em parte, do contato inicial do estudante com o seu instrutor, seja qual for sua tendência linguística. Empatia, segurança, prestatividade e até mesmo um bom timbre de voz influenciam na compreensão, por isso é comum estranhar a pronúncia de um falante que não tenha todas essas qualidades. Desvincule-se de todo preconceito e vício. Não entre nessa de ficar escolhendo com quem gostaria de conversar ou o que ouvir. Na época em que vivemos, marcada pela globalização econômica e cultural, devemos estar preparados para falar (e ouvir) o mundo.”

Somos seres únicos, cheios de singularidades

É importante considerar que cada um de nós possui uma singularidade riquíssima de valores e vivências. E ao nos comunicarmos com outras pessoas, estrangeiros ou não, estamos entrando em contato com essa ampla gama de características, crenças, valores, histórias que vêm junto com a fala, no ato da comunicação. Utilizar uma língua internacional é importante para acessar e entrar em contato com o mundo todo, mas lembrar que essas singularidades estão presentes e devem ser respeitadas é fundamental na comunicação por meio da língua inglesa.  Como afirma Morin, “A humanidade é ao mesmo tempo una e múltipla. Sua riqueza está na diversidade das culturas, mas podemos e devemos nos comunicar dentro da mesma identidade terrestre.” Pertencemos ao mesmo planeta e podemos nos comunicar com o mundo todo por meio dessa língua franca, o inglês, basta que respeitemos e estejamos abertos para compreender toda a bagagem riquíssima que acompanha o contato com o outro.

CARVALHO, Ulysses Britânico ou Americano, qual dos dois devo estudar? Disponível em: http://www.teclasap.com.br/britanico-ou-americano/ Acesso em 19/09/2017.

FALCÃO, Cristiane Vieira; DA SILVA, Ewerton Felix. AS VARIANTES DA LÍNGUA INGLESA EM SALA DE AULA: UMA ABORDAGEM DIDÁTICO-PEDAGÓGICA. Disponível em http://www.editorarealize.com.br/revistas/eniduepb/trabalhos/Modalidade_6datahora_04_10_2013_21_39_59_idinscrito_1682_8ee55d2ec117a4d0d317dc314b53fa50.pdf            Acesso em 19/09/2017

 

GIMENEZ, T.; CALVO, L. C. S.; EL KADRI, M. S. et al. (2015). Inglês como língua franca: desenvolvimentos recentes. Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/rbla/v15n3/1984-6398-rbla-15-03-00593.pdf> Acesso em: 20 de abril de 2020.

 

MORIN, Edgar. Os Sete Saberes necessários à Educação do Futuro. 3.ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO,2001.

 

RAJAGOPALAN, Kanavillil. O inglês como língua internacional na prática docente. In: LIMA, Diógenes Cândido de. (org.) Ensino e aprendizagem de Língua Inglesa – conversas com especialistas. São Paulo: Parábola Editoria, 2009.

 

RITCHIE, Harry. It’s time to challenge the notion that there is only one way to speak English. Disponível em: https://www.theguardian.com/books/2013/dec/31/one-way-speak-english-standard-spoken-british-linguistics-chomsky

 

 

Deixe o seu comentário!