Últimas Publicações:

30/03/2021 - Ciências

O que podemos aprend...

Olá pessoal, todos bem? Já se passou mais de um ano que convivemos com a pandemia e com o seu ator principal o Coronavírus. Ao longo desse tempo todos nós, especialmente os professores com formação na área de Ciê...

30/03/2021 - Ciências

O que podemos aprender com o Coronavírus?

Olá pessoal, todos bem?

Já se passou mais de um ano que convivemos com a pandemia e com o seu ator principal o Coronavírus. Ao longo desse tempo todos nós, especialmente os professores com formação na área de Ciências,  procuramos estudar e entender cada vez mais diversos assuntos voltados ao Sars-cov-2, desde as formas de contágio, prevenção, medidas de controle da pandemia entre outros outros temas, seja para poder responder as dúvidas dos nosso alunos ou até debater com outras pessoas conhecidas que nos perguntam sobre este momento delicado pelo qual passamos. Afinal existe uma guerra de informação e narrativas sobre o que se deve fazer neste momento, que em muitos casos passa bem longe da Ciência.  Mas será que todos nós como educadores sabemos responder com precisão científica as principais duvidas sobre o que leva a infecção pelo Coronavírus?

A informação correta é indispensável e se torna uma aliada importante para se entender os riscos da exposição ao vírus, sobretudo frente as principais formas de contágio e cuidados básicos para manutenção da saúde neste momento em que enfrentamos uma nova variante do vírus e iniciamos a vacinação de parte da população. A Ciência nos aponta os caminhos e as ferramentas para enfrentar este momento, a divulgação científica é importante para que as dúvidas sejam esclarecidas e novos protocolos de combate a doença estabelecidos, a informação correta leva sempre a construção do conhecimento. Pensando em contribuir para esta divulgação de boas práticas informativas que podem nos levar ao conhecimento, a rede médica D’Or formulou um joguinho com perguntas e respostas sobre as principais informações que temos a respeito da COVID-19. Bastante abrangente e com inegável respaldo científico o jogo intitulado FATO ou FAKE? permite explorar nossos conhecimentos básicos de Ciência e os recentes avanços obtidos ao longo deste um ano de pandemia, é uma oportunidade de verificar o que sabemos ou não sobre a doença e o seu causador.

Que tal exercitar um pouco da gamificação com seus alunos? Será que estamos atentos sobre como evitar a infecção ação pelo vírus? Acesse o jogo no link http://dorconsultoria.com.br/coronavirus/quiz/ e nos conte a sua experiência … Na minha primeira tentativa atingi 90% de acertos, e vocês como foram?  Contem para nós nos comentários o que acharam do jogo, suas experiências e outras possibilidades utilizadas para trabalhar com os fatos e os fakes ao longo deste ano, não se esqueçam de divulgar o link para os seus alunos.

Até mais!

Assessoria de Ciências da Natureza.

 

 

Deixe o seu comentário!

18/03/2021 - Ciências

O que uma ostra e um...

Olá a todos(as), tudo bem? Assim como nós que enfrentamos há mais de um ano o isolamento social e a quebra na regularidade das nossas atividades cotidianas, as crianças também têm sofrido com a falta das aulas pres...

18/03/2021 - Ciências

O que uma ostra e uma borboleta podem nos dizer sobre a saúde mental das crianças no isolamento?

Olá a todos(as), tudo bem?

Assim como nós que enfrentamos há mais de um ano o isolamento social e a quebra na regularidade das nossas atividades cotidianas, as crianças também têm sofrido com a falta das aulas presenciais, interação com os colegas e professores, e demais mudanças causadas em sua rotina pela pandemia da Covid-19.

Diversas pesquisas e estudos que tem sido realizadas apontam alterações no nível de ansiedade, sintomas de depressão, aumento da timidez, agressividade, irritação, impaciência e insônia, como alguns dos transtornos mentais que podem ser causados e/ou agravados pelo longo período de isolamento ou contato social reduzido. Bem como, infelizmente, um aumento dos casos de violência doméstica.

Como educadores sabemos da importância das relações sociais desenvolvidas no ambiente escolar, do quanto a interação entre as crianças é importante para o aprendizado e o seu desenvolvimento cognitivo. Mas, o que pode ser feito para auxiliar nossos alunos neste momento difícil pelo qual passamos? Você já ouviu falar na sigla EMDR?

A EMDR é uma terapia, fundamentada na Psicologia que busca trabalhar as dificuldades que enfrentamos quando expostos a estímulos/ações negativos ao redor, traduzida do inglês significa algo como Dessensibilização e reprocessamento do movimento ocular.

“Quando coisas ruins acontecem, o cérebro tem dificuldade em juntar todas as peças e, como resultado, coisas que as pessoas dizem ou fazem ou coisas que as crianças veem, ouvem, cheiram ou tocam podem trazer à tona as memórias ruins, os pensamentos confusos, sentimentos e sensações corporais ligados a essas coisas ruins. O EMDR ajuda o cérebro a juntar todas as peças para que as coisas ruins possam nos deixar e as coisas boas ou as coisas que aprendemos com elas podem ficar para que fiquemos mais fortes. Então, o cérebro pode mastigar e digerir todos os sentimentos e pensamentos confusos, bem como os sentimentos ruins que possamos ter no corpo.” (Ana Gomez)

A terapeuta Ana Gomez, propõe então, um trabalho para ser desenvolvido com as crianças, em virtude deste período de isolamento, por meio da leitura e desenvolvimento de atividades de um livro infantil intitulado “A história da Ostra e da Borboleta: O Coronavírus e eu.”.    

Este livro escrito por Ana Gomez foi traduzido o português e outros 19 idiomas e faz parte de um dos materiais que foram desenvolvidos por meio da força tarefa mundiais para cuidar de crianças nesse período de enfrentamento ao Coronavírus. A pedido da autora, o livro não deve ser vendido nem foi impresso por nenhuma editora, está disponível em formato digital e pode ser baixado de forma gratuita diretamente no site da autora. O objetivo é fazer a divulgação da obra junto a escolas para que possa fazer a diferença no enfrentamento do momento difícil pelo qual estamos passando, especialmente muitas crianças que enfrentam dificuldades em casa como violência doméstica, perdas familiares, dificuldades econômicas entre outras que estão sendo evidenciadas neste tempo.

Que tal aproveitar o momento para ajudar nossos alunos com outras dificuldades além dos conteúdos escolares?   Para saber mais sobre EMDR, baixar o livro indicado e/ou conhecer mais sobre o trabalho da autora, acesse o site pessoal da terapeuta Ana Gomez e conheça suas outras obras em https://www.anagomez.org/

Até mais!

Assessoria de Ciências da Natureza.

Deixe o seu comentário!

11/02/2021 - Ciências

11 de fevereiro: Dia...

Olá professores(as)! Tudo bem? Entre 10 e 11 de fevereiro de 2015, a ONU e a RASIT (Royal Academy of Science International), uma ONG que promove a educação de jovens para a Ciência realizaram um fórum sobre desenvol...

11/02/2021 - Ciências

11 de fevereiro: Dia Internacional das mulheres na Ciência.

Olá professores(as)!

Tudo bem?

Entre 10 e 11 de fevereiro de 2015, a ONU e a RASIT (Royal Academy of Science International), uma ONG que promove a educação de jovens para a Ciência realizaram um fórum sobre desenvolvimento e saúde feminina na sede da ONU em Nova York. Durante o evento foi criada uma declaração alertando a comunidade científica e a população em geral sobre as desigualdades que afetam as cientistas em relação a sua produção, oportunidades e financiamento para pesquisa, mercado de trabalho, e salário em relação aos cientistas homens que desempenham as mesmas funções.

Desde então, o dia 11 de fevereiro, passou a ser conhecido como “Dia Internacional das mulheres na Ciência”, data na qual estes e outros temas são lembrados e debatidos para que esta desigualdade de gênero não se perpetue e possa ser denunciada, buscando sempre a equidade entre os pesquisadores e as pesquisadoras que fazem com que a Ciência evolua e atenda a um número cada vez maior de pessoas.

Para comemorar esta data, escolhi indicar três livros que abordam o papel das mulheres na Ciência e a importância das suas pesquisas para o desenvolvimento da sociedade, abaixo seguem breves sinopses sobre os livros indicados.

“As Cientistas: 50 mulheres que mudaram o mundo” escrito e ilustrado por Rachel Ignotofsky é uma maneira didática e divertida para conhecer um pouco mais sobre algumas mulheres que contribuíram de alguma forma para a ciência, sendo retratadas desde químicas e físicas até astronautas, paleontólogas e muitas outras cientistas das mais diversas áreas.

Além disso, o livro conta com lindas ilustrações, que acabam por tornar a leitura mais dinâmica e interessante, principalmente para as crianças.

O livro traz também infográficos que mostram a variedade dos equipamentos de laboratório, índices de mulheres que trabalham com ciência atualmente e um glossário de termos científicos.

Outro fator de grande importância é que mostrar as mulheres em papéis tão importantes e envolvendo a área da Ciência, que sempre foi dominada pelos homens, acaba incentivando e mostrando para as meninas que elas podem e devem ocupar todos os lugares que tiverem vontade e curiosidade.

O livro “Extraordinárias – mulheres que revolucionaram o Brasil”, escrito por Aryane Cararo e Duda Porto de Souza, apresenta além das cientistas brasileiras, nomes da arte, política, moda, esportes, entre outras profissões que foram revolucionárias em suas atividades e assim contribuíram para o desenvolvimento nacional. O texto apresenta a grande diversidade feminina brasileira, sem levar em conta etnias e religiões, o que nem sempre encontramos em outras obras, importante para mostrar a força feminina na luta pela igualdade e na defesa dos seus ideais.

Por fim, indico “A visita de Marie Curie ao Brasil”, dos autores João Pedro Braga e Cássius Klay Nascimento, publicação da Editora Livraria da Física, livro muito detalhado, os autores utilizam arquivos do noticiário da época, em um trabalho de pesquisa histórica e científica bastante rigorosa para descrever o período entre os dias 15 de julho e 28 de agosto de 1926 em que Marie Curie visita o Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte. Além de relatar a importância desta visita para a Ciência brasileira o livro traz uma mini biografia da ganhadora de dois prêmios Nobel.

Espero que gostem das indicações e explorem todas as possibilidades de abordagem dos conteúdos indicados nas suas  aulas de Ciências, agradeço ainda a @livrosvorazes pelas dicas e ajuda na sinopse de As Cientistas.

Bom retorno e viva a Ciência!

Marco Aurelio P. Bueno

Assessoria de Ciências da Natureza.

 

 

Deixe o seu comentário!

13/10/2020 - Ciências

Cozinhando e aprende...

Olá professores, tudo bem? Neste período em que estamos aprendendo a ensinar remotamente, e nossos alunos em casa estudando com os pais ou sozinhos é ainda mais importante contextualizar o ensino, aproximar do dia a d...

13/10/2020 - Ciências

Cozinhando e aprendendo Ciências!

Olá professores, tudo bem?

Neste período em que estamos aprendendo a ensinar remotamente, e nossos alunos em casa estudando com os pais ou sozinhos é ainda mais importante contextualizar o ensino, aproximar do dia a dia do aluno os temas e conteúdos que fazem parte das Ciências da Natureza. Você sabia que grande parte do que se faz na cozinha, no preparo de alimentos, envolve Química?

No livro didático de Ciências do 4º ano, no volume 2, este tema já é trabalhado conforme o proposto pela BNCC buscando aproximar a Química do aluno já nos anos iniciais do ensino fundamental, oportunizando um aprendizado significativo e contextualizado. Em nosso canal de vídeo aulas os alunos podem conferir como a Química faz parte da cozinha e do nosso cotidiano.

Outra ferramenta interessante para trabalhar a Química na cozinha é o site do museu americano Exploratorium, localizado em São Francisco. Na seção hungry for science, algo como fome de Ciência em português, são apresentadas uma série de vídeos com experimentos e alimentos que podem servir de inspiração para suas aulas.

Saiba mais sobre o Exploratorium acessando aqui https://www.exploratorium.edu/video/collections/hungry-for-science

Conheça outros vídeos em nossa playlist no canal do Sistema de Ensino Aprende Brasil aqui https://www.youtube.com/c/SistemaAprendeBrasil/playlists

Um abraço! Até mais.

Deixe o seu comentário!

05/05/2020 - Ciências, História

O que não sabíamos...

Olá!   Em postagens anteriores falamos sobre o perigo das notícias falsas sobre diferentes doenças. Algumas destas especulações perduram por anos, até mesmo séculos. É o caso da Gripe espanhola! Já se pass...

05/05/2020 - Ciências, História

O que não sabíamos sobre a Gripe Espanhola

Olá!

 

Em postagens anteriores falamos sobre o perigo das notícias falsas sobre diferentes doenças. Algumas destas especulações perduram por anos, até mesmo séculos.

É o caso da Gripe espanhola! Já se passaram mais de 100 anos que ela surgiu e diversas informações errôneas ainda são divulgadas, por exemplo, você sabia que:

…a Gripe espanhola não começou na Espanha?

…diferentemente do COVID-19, a Gripe espanhola matava mais jovens e adultos saudáveis, e não de crianças e idosos?

…foi na segunda e terceira onda de contaminação que o número de mortos foi maior?

…mesmo causando grande número de mortes, a taxa de mortalidade era 20%?

…no Brasil o vírus fez milhares de vítimas, inclusive Rodrigues Alves (veja nossa postagem sobre Revolta da Vacina), em 1919, quinto presidente da República , no início de seu segundo mandato, inclusive ele não chegou a tomar posse?

 

Imagem de Atividade. Material de Apoio, Livro didático de História, 9o. ano, vol. 1.

 

 

Essas e outras questões são desmistificadas na reportagem Mitos que perduram sobre a Gripe espanhola, a maior pandemia da história recente, do jornal El País, acesse a reportagem completa clicando aqui.

Vale destacar, ainda, que as notícias falsas ganharam força, pois os governantes tinham medo e impediam que informações fossem amplamente divulgadas, lembrando que estamos falando dos períodos das Grandes Guerras, e tais informações se divulgadas poderiam mostrar a para fragilidade do inimigo.

Mesmo com informações falsas, dados ocultados, é importante pensar que a Gripe espanhola deixou muitas lições para nós, mesmo passados mais de 100 anos:

“Embora pouca gente se recorde da grande pandemia de 1918, podemos continuar aprendendo com ela – da importância de lavar as mãos e se vacinar até o potencial dos medicamentos antivirais. Hoje em dia sabemos melhor como isolar e tratar um grande número de pacientes doentes e agonizantes, e podemos receitar antibióticos, os quais não existiam em 1918, para combater as infecções bacterianas secundárias. Talvez a maior esperança resida em aprimorar a nutrição, as condições sanitárias e o nível de vida, que melhoram a capacidade dos pacientes de resistirem à infecção“.

 

Será que vamos aprender com o COVID-19?

Será que as notícias falsas sobre o COVID-19 permanecerão “vivos” por muito tempo?

 

Equipe Assessoria de História

 

Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil

 

Referências:
El País. RICHARD GUNDERMAN. Mitos que perduram sobre a ‘gripe espanhola’, a maior pandemia da história recente. 21 jan 2018. Disponível em: <https://brasil.elpais.com/brasil/2018/01/16/internacional/1516096077_476907.html>. Acesso em: 02 abr 2020.05

Deixe o seu comentário!

12/08/2019 - Ciências

Girafas, mariposas e...

Ao depararmos com exemplos utilizados quando se discute Evolução, possivelmente as girafas de Lamarck e as mariposas de Darwin são os mais difundidos e utilizados neste tema. Mas em que momento Lamarck e Darwin coment...

12/08/2019 - Ciências

Girafas, mariposas e anacronismos didáticos.

Ao depararmos com exemplos utilizados quando se discute Evolução, possivelmente as girafas de Lamarck e as mariposas de Darwin são os mais difundidos e utilizados neste tema. Mas em que momento Lamarck e Darwin comentaram sobre isso?

Isabel Rabelo Roque publicou em 2003 na coluna  “Opinião”, da revista Ciência Hoje, um artigo interessante trazendo informações que, talvez, tenha passado desapercebido aos nossos olhos durante um longo tempo.

Uma excelente leitura

Girafas, mariposas e anacronismos didáticos.pdf

Deixe o seu comentário!