05/04/2021 - Ensino Religioso, História

Dialoga, Brasil! – O saber escolar

 

Palavras-chave:

Saberes, escolar, científico, popular.

Segmento/ano:

Ensino Fundamental.

 


 

Olá, professor e professora!

 

Cotidianamente somos cercados por diversos tipos de saberes. Não é incomum que, ao ficarmos doentes, ouvimos de nossas avós, mães e pessoas próximas várias orientações sobre cuidado e, ao mesmo tempo, vamos ao médico e unimos os dois pontos de vista em nosso tratamento.

Esse exemplo pode nos levar ao seguinte questionamento: Há um desses conhecimentos que vale mais? Qual deles deve estar presente no ambiente escolar? Nosso papo hoje é sobre isso!

Precisamos fugir da lógica da escada quando tratamos de diversas formas de saberes. Não podemos vê-los de maneira hierárquica, como se um estivesse acima do outro. Ou ainda, como se um fosse o primeiro degrau da escada e outro fosse o último, sendo necessário passar e superar um para acessar o outro que está em uma posição superior.

Dando nome aos bois, falamos do saber científico e do saber popular. Comumente tendemos, como sociedade, a valorizar o conhecimento científico, pensado e desenvolvido no meio acadêmico. Ele acaba sendo lido como superior frente ao saber popular.

A ideia de que a escola é um ambiente de reprodução do saber científico e um espaço para se superar o saber popular já foi muito difundida. Colocamos no passado essa realidade, pois há o movimento constante de construir um espaço escolar que é ambiente político e de construção do conhecimento: o saber escolar.

 

 

Você pode baixar o arquivo em PDF clicando na imagem ou AQUI.

 

 

Dessa forma, devemos observar o saber escolar como um conhecimento que dialoga ou entra em atrito com outras formas de saber, sendo mesmo um espaço que pode questionar o saber científico e acolher os saberes populares, tudo depende do contexto. Discentes e docentes produzem um conhecimento tão válido e crítico quanto os desenvolvidos no meio acadêmico.

É necessário ressaltar que o intuito aqui não é negar a ciência, mas apresentar cada forma de conhecimento como um universo que deve ser lido e respeitado de maneira particular.

 

Como esse debate se apresenta quando o assunto é Ensino de História? Acompanhe o blog que no próximo post vai falar sobre isso!

 

Habilidades mobilizadas (BNCC):

  • (EF05HI06) Comparar o uso de diferentes linguagens e tecnologias no processo de comunicação e avaliar os significados sociais, políticos e culturais atribuídos a elas.
  • (EF01ER05) Identificar e acolher sentimentos, lembranças, memórias e saberes de cada um.

 

Dica: Para aprofundar seu conhecimento sobre o assunto assista o vídeo Utilização de plantas na medicina popular, produzido pelo Canal Futura.

 

 

Para assistir o vídeo clique na imagem ou AQUI.

 

 

Este vídeo que conta a história de Seu Santinho e seu conhecimento sobre o uso medicinal das plantas brasileiras. Na região da Chapada Diamantina, na Bahia, Seu Santinho é ouvido por toda a comunidade, até mesmo pelo médico da região. Além disso, Santinho mobiliza um aprendizado junto com os mais jovens. Os saberes de Santinho estão no campo da sabedoria popular e nos convidam a ampliar nossa percepção do que acreditamos ser conhecimento válido e legítimo.

 

*Texto escrito em parceria entre: Equipe Assessoria de História e Professora Daniela Pereira da Silva
Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil
Referências
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf>. Acesso em: março de 2021.
GARCIA, Pedro Benjamin et al. Saber popular/Educação popular. Cadernos de Educação, v. 3, p. 33-62, 1986.
LOPES, Alice. Reflexões sobre currículo: as relações entre senso comum, saber popular e saber escolar. Em Aberto, v. 12, n. 58, 1993.

Deixe o seu comentário!