Últimas Publicações:

08/04/2021 - Língua Portuguesa

Explorando as série...

Olá, professores(as). Como vocês estão? Hoje vamos dar uma sugestão para explorar as séries de cinema. Atividade: Inicie a aula propondo que cada aluno fale qual é a sua série preferida. Pode ser série de qualque...

08/04/2021 - Língua Portuguesa

Explorando as séries

Olá, professores(as).

Como vocês estão?

Hoje vamos dar uma sugestão para explorar as séries de cinema.

Atividade:

Inicie a aula propondo que cada aluno fale qual é a sua série preferida. Pode ser série de qualquer gênero, inclusive desenho animado, mas é fundamental que tenha uma sequência de vários episódios.

Além da temática, converse sobre a estrutura e a organização da série: ano de produção, número de episódios e temporadas. Comente que os episódios também possuem títulos porque cada um conta um pedaço da história.

É sempre importante ressaltar que, sempre que vamos conversar sobre filmes e séries, não podemos revelar muito sobre o conteúdo abordado, caso contrário podemos fazer spoilers e estragar a surpresa para as pessoas que ainda não assistiram.

Lance então um breve desafio aos alunos: produzir uma sinopse da série, sem contar os acontecimentos mais importantes. O objetivo é que eles resumam o conteúdo de vários episódios em poucas palavras, desenvolvendo o poder da síntese.

Se os alunos tiverem acesso a alguma plataforma de vídeo on demand, sugira uma observação em relação ao modo como as séries costumam ser anunciadas. São poucas informações, mas que oferecem ao público um panorama geral, curioso e convidativo. Se preferir, você mesmo pode pesquisar e mostrar um exemplo aos alunos!

Depois que todos produzirem suas sinopses (sem spoilers), cada aluno poderá enviar sua produção a um colega ou, se preferir, você poderá organizar todas as sinopses em um único documento para que todos tenham acesso.

Essa foi a dica de hoje!

Você já fez algum trabalho usando séries?
Compartilhe sua sugestão!

 

Até breve!

Assessoria de Língua Portuguesa

linguaportuguesa@aprendebrasil.com.br

Deixe o seu comentário!

08/04/2021 - Ensino Religioso, História

Mão na massa, Brasi...

Palavras-chave: Saber escolar, conhecimento histórico escolar, temporalidade. Segmento/ano: Ensino Fundamental.     Olá, professor e professora!   No último post falamos sobre as diversas formas de sabe...

08/04/2021 - Ensino Religioso, História

Mão na massa, Brasil! – Conhecimento histórico escolar

Palavras-chave:

Saber escolar, conhecimento histórico escolar, temporalidade.

Segmento/ano:

Ensino Fundamental.

 


 

Olá, professor e professora!

 

No último post falamos sobre as diversas formas de saber. Pontuamos que o saber escolar não é uma mera reprodução do conhecimento científico e nem mesmo um espaço de recusa do saber popular. Para ler clique AQUI.

 

Quando o assunto é Ensino de História, falamos do conhecimento histórico acadêmico e do conhecimento histórico escolar.

 

O acadêmico, está representado no que chamamos de historiografia, da História escrita. Para isso, historiadores partem de processos metodológicos específicos, utilizam a leitura de fontes históricas e desenvolvem uma narrativa escrita sobre o período histórico que estudaram. Isso inclui qualquer tipo de produção que possa ser entendida como registro: documentário, HQ, jogo, livro, artigo, etc.

Por sua vez, o conhecimento histórico escolar parte da vida prática dos estudantes para ser desenvolvida. A intenção não é formar mini historiadores, mas apresentar aos estudantes instrumentos da História que eles possam usar para uma leitura de mundo mais crítica. Ou seja, o conhecimento histórico escolar não é apenas uma parte do acadêmico, e sim um outro saber.

Hoje vamos convidar você professor a realizar uma atividade com seus estudantes. A intenção dela é que os educandos desenvolvam seus instrumentos de leitura de mundo por um olhar histórico. Para isso o primeiro passo é escolher um calendário de outro período histórico do qual tenhamos acesso e comprar ele com o que utilizamos atualmente.

 

Para exemplo, selecionamos o calendário egípcio:

Você pode baixar o arquivo em PDF clicando na imagem ou AQUI.

 

Explorar as semelhanças e diferenças dos dois sistemas auxilia o estudante na percepção do tempo a sua volta.

Após debater sobre esses aspectos o convite é para que o estudante desenhe o seu dia trazendo elementos de tempo e temporalidade que ele percebe. Aqui podem aparecer os diferentes períodos do dia, horários, objetos de medição como o relógio, variações de temperatura, etc. O objetivo é aguçar a percepção dos estudantes sobre tempo e temporalidade baseado na vida prática deles.

Você, professor, pode utilizar essa proposta como um momento avaliativo, por exemplo!

 

Para saber mais sobre tempo e temporalidade, temos um post sobre isso, acesse clicando AQUI.

 

Habilidades mobilizadas (BNCC):

EF05HI06 Comparar o uso de diferentes linguagens e tecnologias no processo de comunicação e avaliar os significados sociais, políticos e culturais atribuídos a elas.

EF01ER05 Identificar e acolher sentimentos, lembranças, memórias e saberes de cada um.

EF01GE05 Observar e descrever ritmos naturais (dia e noite, variação de temperatura e umidade etc.) em diferentes escalas espaciais e temporais, comparando

a sua realidade com outras.

 

*Texto escrito em parceria entre: Equipe Assessoria de História e Professora Daniela Pereira da Silva
Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil

 

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf>. Acesso em: março de 2021.
FERREIRA, Marieta de Morais; OLIVEIRA, Margarida Maria Dias de. Dicionário de Ensino de História. Editora FGV, 2019.
LOPES, Alice. Reflexões sobre currículo: as relações entre senso comum, saber popular e saber escolar. Em Aberto, v. 12, n. 58, 1993.
PLANETÁRIO. Fundação planetário da cidade do Rio de Janeiro. Página inicial. Disponível em: <http://planeta.rio/>.  Acesso em: 20 de março de 2021.

Deixe o seu comentário!

05/04/2021 - Ensino Religioso, História

Dialoga, Brasil! ...

  Palavras-chave: Saberes, escolar, científico, popular. Segmento/ano: Ensino Fundamental.     Olá, professor e professora!   Cotidianamente somos cercados por diversos tipos de saberes. Não é inc...

05/04/2021 - Ensino Religioso, História

Dialoga, Brasil! – O saber escolar

 

Palavras-chave:

Saberes, escolar, científico, popular.

Segmento/ano:

Ensino Fundamental.

 


 

Olá, professor e professora!

 

Cotidianamente somos cercados por diversos tipos de saberes. Não é incomum que, ao ficarmos doentes, ouvimos de nossas avós, mães e pessoas próximas várias orientações sobre cuidado e, ao mesmo tempo, vamos ao médico e unimos os dois pontos de vista em nosso tratamento.

Esse exemplo pode nos levar ao seguinte questionamento: Há um desses conhecimentos que vale mais? Qual deles deve estar presente no ambiente escolar? Nosso papo hoje é sobre isso!

Precisamos fugir da lógica da escada quando tratamos de diversas formas de saberes. Não podemos vê-los de maneira hierárquica, como se um estivesse acima do outro. Ou ainda, como se um fosse o primeiro degrau da escada e outro fosse o último, sendo necessário passar e superar um para acessar o outro que está em uma posição superior.

Dando nome aos bois, falamos do saber científico e do saber popular. Comumente tendemos, como sociedade, a valorizar o conhecimento científico, pensado e desenvolvido no meio acadêmico. Ele acaba sendo lido como superior frente ao saber popular.

A ideia de que a escola é um ambiente de reprodução do saber científico e um espaço para se superar o saber popular já foi muito difundida. Colocamos no passado essa realidade, pois há o movimento constante de construir um espaço escolar que é ambiente político e de construção do conhecimento: o saber escolar.

 

 

Você pode baixar o arquivo em PDF clicando na imagem ou AQUI.

 

 

Dessa forma, devemos observar o saber escolar como um conhecimento que dialoga ou entra em atrito com outras formas de saber, sendo mesmo um espaço que pode questionar o saber científico e acolher os saberes populares, tudo depende do contexto. Discentes e docentes produzem um conhecimento tão válido e crítico quanto os desenvolvidos no meio acadêmico.

É necessário ressaltar que o intuito aqui não é negar a ciência, mas apresentar cada forma de conhecimento como um universo que deve ser lido e respeitado de maneira particular.

 

Como esse debate se apresenta quando o assunto é Ensino de História? Acompanhe o blog que no próximo post vai falar sobre isso!

 

Habilidades mobilizadas (BNCC):

  • (EF05HI06) Comparar o uso de diferentes linguagens e tecnologias no processo de comunicação e avaliar os significados sociais, políticos e culturais atribuídos a elas.
  • (EF01ER05) Identificar e acolher sentimentos, lembranças, memórias e saberes de cada um.

 

Dica: Para aprofundar seu conhecimento sobre o assunto assista o vídeo Utilização de plantas na medicina popular, produzido pelo Canal Futura.

 

 

Para assistir o vídeo clique na imagem ou AQUI.

 

 

Este vídeo que conta a história de Seu Santinho e seu conhecimento sobre o uso medicinal das plantas brasileiras. Na região da Chapada Diamantina, na Bahia, Seu Santinho é ouvido por toda a comunidade, até mesmo pelo médico da região. Além disso, Santinho mobiliza um aprendizado junto com os mais jovens. Os saberes de Santinho estão no campo da sabedoria popular e nos convidam a ampliar nossa percepção do que acreditamos ser conhecimento válido e legítimo.

 

*Texto escrito em parceria entre: Equipe Assessoria de História e Professora Daniela Pereira da Silva
Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil
Referências
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf>. Acesso em: março de 2021.
GARCIA, Pedro Benjamin et al. Saber popular/Educação popular. Cadernos de Educação, v. 3, p. 33-62, 1986.
LOPES, Alice. Reflexões sobre currículo: as relações entre senso comum, saber popular e saber escolar. Em Aberto, v. 12, n. 58, 1993.

Deixe o seu comentário!