Últimas Publicações:

28/09/2020 - Marketing

EDUCAÇÃO SE FAZ CO...

por Andréa Luiza Santos Arantes*     Caros educadores, Uma das premissas do Sistema de Ensino Aprende Brasil é a promoção da educação pelo exemplo. Acreditamos que, por trabalharmos com a educação, deve...

28/09/2020 - Marketing

EDUCAÇÃO SE FAZ COM EXEMPLOS

por Andréa Luiza Santos Arantes*

 

 

Caros educadores,

Uma das premissas do Sistema de Ensino Aprende Brasil é a promoção da educação pelo exemplo. Acreditamos que, por trabalharmos com a educação, devemos fazer escolhas que inspirem a sociedade a promover sustentabilidade e dessa forma contribuir para a construção de um mundo melhor. Pensando nisso, neste ano vamos presentear todos os educadores que utilizam o Aprende Brasil com uma sacola feita em tecido. Um produto sustentável que pode ser utilizado em substituição às famosas sacolas ou pastas plásticas.

 

Atualmente, a utilização de plástico descartável é um sério problema ambiental e social em todo o mundo. A grande quantidade de resíduo plástico descartável gerada por nós, e a incorreta destinação dada a esses resíduos, está ameaçando um de nossos mais ricos e importantes ecossistemas. Mares e oceanos estão cheios de resíduos plásticos, causando a mortalidade de vários animais marinhos e a poluição das águas.A sacola é uma contribuição para que vocês possam nos ajudar no compromisso de redução na geração de resíduos plásticos e na promoção da educação pelo exemplo, levando esse assunto para a sala de aula e conversando com seus alunos sobre a importância do consumo consciente e da escolha de produtos com baixo impacto ambiental.

Para auxiliá-los nesse processo, vamos compartilhar com vocês um artigo sobre o tema e dicas sobre algumas atividades que podem ser realizadas em sala de aula com seus alunos.

Vamos juntos fazer a diferença e promover um futuro mais sustentável. Porque aqui, no Aprende Brasil, educação se faz com exemplos!

 

Plástico descartável: proibir para mudar

Ao ser questionado sobre o uso de produtos descartáveis, talvez você não se lembre de que, na última semana, provavelmente utilizou vários deles, seja tomando água, mexendo seu café, carregando compras do supermercado ou usando canudos para tomar um suco. A maioria das atividades humanas modernas utilizam produtos descartáveis – boa parte deles –  feitos de material plástico, e quando paramos para observar o comércio de alimentos e bebidas vemos que o uso de materiais descartáveis é significativamente mais expressivo.
Podemos citar vários problemas relacionados ao descarte de materiais plásticos, como a falta de espaço nos aterros sanitários para descarte dos resíduos, a demora na decomposição desses materiais e os problemas relacionados à incineração de resíduos a céu aberto (que representam uma das principais fontes de poluição do ar no Brasil). Mas atualmente o problema mais comentado diz respeito ao acúmulo de plástico nos oceanos. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), cerca de 8 milhões de toneladas de plásticos são jogadas anualmente nos oceanos, acarretando na formação de grandes ilhas de resíduo e no aumento da mortalidade entre animais marinhos.

Ainda de acordo com a ONU, a cada ano são gerados cerca de 300 milhões de toneladas de lixo plástico, sendo que 14% desse resíduo é encaminhado para reciclagem e apenas 9% é efetivamente reciclado. Algumas pessoas têm a falsa impressão de que todos os resíduos plásticos são recicláveis. Porém produtos químicos acrescentados aos polímeros plásticos e embalagens de alimentos contaminadas com restos orgânicos podem inviabilizar o processo de reciclagem.

Frente à constatação de que não podemos resolver o problema de destinação de todo o resíduo plástico gerado apenas por meio da reciclagem, fica clara a necessidade de reduzir o consumo e a geração desse resíduo. Considerando esse fato, vários países já estão adotando medidas que proíbem a utilização de produtos plásticos descartáveis. O Canadá, a Indonésia e nações da União Europeia, por exemplo, já definiram uma data para proibição do uso de plástico descartável, e o Brasil, sendo o 4º país que mais gera resíduos plásticos no mundo, precisa acompanhar esse movimento.

Bares e restaurantes são exemplos de estabelecimentos que podem reduzir drasticamente o consumo de itens plásticos, que é bastante expressivo. Copos, canudos, pratos e talheres descartáveis são utilizados cotidianamente em muitos estabelecimentos, e o consumidor, tão acostumado com esse padrão de consumo, não tem por hábito questionar a real necessidade de utilização desses materiais.

Considerando que a proibição do uso de produtos descartáveis está se tornando realidade em alguns municípios brasileiros e que essa iniciativa pública tem a tendência de se espalhar em breve para um grande número de cidades é necessário que proprietários de bares e restaurantes comecem a usar materiais biodegradáveis. Em contrapartida, a indústria responsável pela produção de produtos plásticos descartáveis precisa aumentar o investimento em pesquisa e desenvolvimento de materiais com baixo impacto ambiental, promovendo a inovação nos seus produtos para garantia da manutenção dos seus negócios.

É importante destacar, também, que nós, como consumidores, podemos adotar uma postura consciente e proativa que não dependa da existência de políticas públicas. O consumidor final é o agente de transformação com maior poder nessa cadeia. Podemos estimular as marcas que consumimos, os fornecedores que contratamos e os estabelecimentos comerciais que frequentamos a realizar iniciativas de substituição do plástico.

Por fim, partindo do princípio de que nenhuma mudança é fácil, devemos começar, dando preferência às empresas com um posicionamento ativo e comprometido no que diz respeito a iniciativas de baixo impacto ambiental. Isso contribuirá para viabilizar essa mudança de comportamento tão urgente e fundamental para a sustentabilidade do nosso futuro.

*Andréa Luiza Santos Arantes, engenheira ambiental e sanitarista, é consultora nas áreas de Gestão de Processos, Qualidade e Meio Ambiente, mestre em Gestão Ambiental pela Universidade Positivo e coordenadora de Gestão Ambiental no Grupo Positivo

 

Como abordar essa temática com alunos em sala de aula

Existem várias possibilidades para abordar esse assunto em sala de aula. Descrevemos aqui uma sugestão para inspirar você a gerar um conteúdo bem legal para os seus alunos:

Incentivando a prática da coleta seletiva

Antes de propor qualquer exercício para tratar sobre a temática de geração de resíduos é necessário entender se os seus alunos já possuem o hábito de praticar a coleta seletiva. Se esse for um assunto relevante para o seu grupo, recomendo que comece a abordar o assunto falando sobre a importância da separação dos resíduos.

A maioria das pessoas que não praticam coleta seletiva não o fazem por não entenderem a relevância dessa atitude. Por isso, é importante explicar o que acontece com os materiais após a separação, para que todos possam ser sensibilizados por meio da compreensão sobre o processo completo.

Por exemplo, no geral separamos o lixo da seguinte forma: papel, plástico, metal, vidro e não reciclável. Cada resíduo gerado segue um caminho diferente a partir da coleta seletiva, e todos os resíduos recicláveis vão retornar para a indústria e serão utilizados na fabricação de outros produtos. Chamamos esse processo de economia circular. Para ficar mais fácil de entender vamos ver o exemplo do plástico: você sabia que o plástico é produzido a partir do petróleo? Veja as seguir o ciclo de vida de uma garrafinha plástica:

Pela análise dos dois ciclos, podemos concluir que reciclar é poupar o meio ambiente. Por meio da prática da coleta seletiva, podemos garantir que o resíduo plástico retorne para a indústria e seja utilizado na fabricação de vários produtos, reduzindo, dessa forma, a necessidade de utilização de resina plástica virgem, produzida a partir da extração do petróleo – que causa vários impactos ao meio ambiente.

 

Falando sobre a importância da redução do consumo de plásticos descartáveis
e da reutilização de materiais

Agora que seus alunos já estão sensibilizados sobre a importância da prática da coleta seletiva, vamos dar mais um passo e falar sobre ações que podem ser realizadas para reduzir a geração de resíduos plásticos descartáveis. Para começar, é preciso fazê-los perceber, por conta própria, que os resíduos que mais geramos nas atividades diárias é o resíduo de plástico descartável. Só assim eles entenderão a relevância de falar sobre esse assunto.

Convide seus alunos a tomar nota, pelo período de alguns dias, de todos os resíduos plásticos que são gerados na sua residência e todos aqueles que eles encontram jogados na rua no trajeto para a escola. Naturalmente, todos irão concluir que geramos um grande volume de resíduo plástico nas nossas atividades diárias.

O próximo passo é debater com os alunos ideias de redução de consumo e reutilização de materiais. Peça para cada aluno escolher um tipo de resíduo plástico e dar um exemplo de novo uso. Por exemplo, uma embalagem usada pode virar um porta-lápis de cor, conforme mostra a imagem a abaixo:

Esse exercício irá desenvolver a inovação e a criatividade, além de apresentar várias possibilidades de novas funções para materiais plásticos.

Aqui vão algumas dicas para ajudar a enriquecer a discussão de vocês:

  • Prefira embalagens retornáveis e refis;
  • Escolha garrafinhas ou copos reutilizáveis;
  • Utilize sacolas reutilizáveis, as chamadas ecobags, para carregar suas compras no supermercado;
  • Não utilize canudos descartáveis – opte pelas opções de canudos de metal e plástico reutilizáveis;
  • Evite utilizar talheres e pratos descartáveis.

 

 

Deixe o seu comentário!

  • Como não perceber através desse material, a nossa responsabilidade como professores de sermos multiplicadores da conscientização dos nossos alunos da necessidade e urgência em mudarmos de atitudes em beneficio da preservação do nosso planeta. Este material só veio nos mostrar de forma clara e objetiva de como podemos através de pequenas ações e atitudes transformar nossos alunos em defensores do meio ambiente,

  • Bom dia !
    Material riquíssimo , com dicas para inovar nossas aulas com nossas crianças pois elas são futuro do nosso planeta e nós como Educadores temos que ensinar e ser exemplos para elas .

  • Gostei muito, são novas ideias para está ampliando a nossa atitude positiva a favor do planeta.

05/03/2021 - Ensino Religioso

Plano de Aula: Narra...

    Palavras-chave: Sugestão de planejamento; Crenças religiosas e filosofias de vida; Narrativas religiosas; Mitos nas tradições religiosas; Ancestralidade e tradição oral.   Série/Ano: 5º. ano ...

05/03/2021 - Ensino Religioso

Plano de Aula: Narrativas religiosas

 

 

Palavras-chave:

Sugestão de planejamento; Crenças religiosas e filosofias de vida; Narrativas religiosas; Mitos nas tradições religiosas; Ancestralidade e tradição oral.

 

Série/Ano:

5º. ano


Olá!

No post de hoje vamos compartilhar uma sugestão de aula de Ensino Religioso. Veja:

 

UNIDADE TEMÁTICA:

Crenças religiosas e filosofias de vida

 

OBJETOS DO CONHECIMENTO:

Narrativas religiosas / Mitos nas tradições religiosas / Ancestralidade e tradição oral

 

COMPETÊNCIA GERAL DA BNCC EXPLORADA:

Valorizar e utilizar os conhecimentos historicamente construídos sobres o mundo físico, social, cultural e digital para entender e explicar a realidade, continuar aprendendo e colaborar para a construção de uma sociedade justa, democrática e inclusiva.

Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora e digital –, bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações, experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.

 

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DE ENSINO RELIGOSO:

Conhecer os aspectos estruturantes das diferentes tradições/movimentos religiosos e filosofias de vida, a partir de pressupostos científicos, filosóficos, estéticos e éticos.

 

HABILIDADE ESPECÍFICA DE ÁREA:

(EF05ER01) Identificar e respeitar acontecimentos sagrados de diferentes culturas e tradições religiosas como recurso para preservar a memória.

(EF05ER02) Identificar mitos de criação em diferentes culturas e tradições religiosas.
(EF05ER03) Reconhecer funções e mensagens religiosas contidas nos mitos de criação (concepções de mundo, natureza, ser humano, divindades, vida e morte).

(EF05ER04) Reconhecer a importância da tradição oral para preservar memórias e acontecimentos religiosos.

(EF05ER05) Identificar elementos da tradição oral nas culturas e religiosidades indígenas, afro-brasileiras, ciganas, entre outras.

(EF05ER06) Identificar o papel dos sábios e anciãos na comunicação e preservação da tradição oral.

(EF05ER07) Reconhecer, em textos orais, ensinamentos relacionados a modos de ser e viver.

 

ENCAMINHAMENTO

Diversas religiões têm seus mandamentos registrados em livros, chamados livros sagrados, porém diversas outras culturas religiosas são pautadas na oralidade.

 

Um exemplo disto são culturas indígenas, veja um exemplo no vídeo abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=zXSBsQnDM6k

 

Este vídeo contém uma narrativa que explica fenômenos da natureza. É possível pedir para as crianças fecharem os olhos ou apenas reproduzir o som da história.

 

O professor também pode fazer uso áudio como o exemplo abaixo:

http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/modules/debaser/singlefile.php?id=24429

 

Esta proposta apresenta a possibilidade de abordagem interdisciplinar com história, pois a temática Oralidade também é assunto deste componente curricular no 5º. Ano.

 

Gostou da dica? Compartilhe suas experiências nos comentários.

Equipe Assessoria de Ensino Religioso

Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil

 

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf>. Acesso em: maio, 2018.

Deixe o seu comentário!

04/03/2021 - Língua Portuguesa

Verbete de dicionár...

Olá, professores(as)! A dica de hoje é uma prática para explorar o gênero textual verbete, relacionando-o ao estudo das conjunções que expressam soma de sentido.   Como fazer:   Escolha um verbete de dici...

04/03/2021 - Língua Portuguesa

Verbete de dicionário

Olá, professores(as)!

A dica de hoje é uma prática para explorar o gênero textual verbete, relacionando-o ao estudo das conjunções que expressam soma de sentido.

 

Como fazer:

 

Escolha um verbete de dicionário, exemplo: terra.

Elabore afirmativas usando as diferentes acepções dessa palavra.

– Terra é o planeta do Sistema Solar em que habitamos.

– Terra é o nome do fio que tem como função proteger contra choques elétricos.

Depois, solicite aos alunos que avaliem e expliquem os diferentes efeitos de sentido de cada uma das acepções desse verbete. Em seguida, solicite que formem frases para explicar essas diferenças.
Exemplo:

Terra é o nome dado ao planeta em que habitamos e também o nome do fio que tem como função proteger contra choques elétricos.

 

Faça essa prática com vários verbetes diferentes, ampliando a possibilidade de os alunos escreverem sobre esses contrastes de sentido.
A ideia dessa produção escrita é contemplar aspectos como: construção de orações coordenadas, uso do ponto e vírgula no verbete, uso da vírgula na frase, uso das conjunções etc.

 

Gostou dessa dica?
Comente aqui.

Até logo!

 

Assessoria de Língua Portuguesa

linguaportuguesa@aprendebrasil.com.br

 

 

Deixe o seu comentário!

04/03/2021 - Geografia

A tecnologia ao alca...

Olá Professora! Olá Professor! Hoje trago para o nosso Blog um assunto que tem levantado algumas discussões no Brasil. É a implantação do 5G ou quinta geração da telefonia móvel. Tecnologia essa que permite maio...

04/03/2021 - Geografia

A tecnologia ao alcance de todos?

Olá Professora! Olá Professor!

Hoje trago para o nosso Blog um assunto que tem levantado algumas discussões no Brasil. É a implantação do 5G ou quinta geração da telefonia móvel. Tecnologia essa que permite maior rapidez e segurança na troca de informações e comunicações de dados entre os  diferentes dispositivos, fato que tem gerado embate em importantes setores da sociedade, como na política, economia e educação.

As diferentes siglas, 3G, 4G ou 5G, são denominações utilizadas para as diferentes gerações e tecnologias de redes móveis, responsáveis pelo acesso à Internet de celulares, tablets, entre outros dispositivos.

Mas, na prática, o que isso significa? A implantação do 5G promoveria melhorias em diferentes áreas e ampliaria o espectro da chamada “Internet da Coisas”, isto é, uma conexão entre  “objetos inteligentes” por meio da rede mundial de computadores. Por exemplo: por meio de um aplicativo em um dispositivo móvel com 5G, seria possível regular a temperatura do ar condicionado da residência à distância, ou, indo ainda mais longe, um médico poderia operar sem estar presente fisicamente.

Contudo, para que essa tecnologia chegue até a população brasileira, primeiramente terá que ocorrer o leilão do 5G, entre as empresas de telefonia interessadas em instalar essa nova geração de tecnologia no país, e, que já controlam esse setor por meio de praticamente um oligopólio: a Tim, a Claro e a Vivo. Além disso, todas elas concordam que o 3 G e o 4G ainda têm muito espaço para crescer no país, afirmando que o custo da instalação do 5G, ainda é desnecessário. Um outro obstáculo está na dimensão territorial do país que dificulta a ampliação da rede, pois exige maior investimento humano e de capital.

Esse assunto está presente na BNCC , é a competência Cultural Digital, que tem como objetivo levar o aluno a:

“Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva”.

Ao levar para a aula um tema como esse, é possível que desperte o interesse de muito alunos, pois é um tem que aguça a curiosidade dos mesmos. Baseado neste post, poderia propor aos alunos que descubram qual rede predomina em seu município 2G, 3G ou 4G, bem como o acesso da população à essa tecnologia.

O que achou deste post? Deixe seu comentário.

Equipe Assessoria de Geografia

Sempre que precisar entre em contato conosco: geografia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: @aprendebrasil

Grande abraço e até o próximo post!

Equipe Assessoria de Geografia

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em:  25 Março de 2020
MIAZZO, Leonardo. Da Internet ultrarrápida às cirurgias remotas, entenda a revolução e os desafio do 5G. Artigo publicado em:  https://www.cartacapital.com.br/tecnologia/da-internet-ultrarrapida-as-cirurgias-remotas-entenda-a-revolucao-e-os-desafios-do-5g/  Acesso em 25 Fev. 2021.

Deixe o seu comentário!

03/03/2021 - Ensino Religioso, História

Mão na massa, Brasi...

  Palavras-chave: Filmes, trabalho escolar, criatividade, proposta pedagógica.   Segmento/ano: Ensino fundamental Anos Finais   Competências específicas de área (BNCC): 2. Compreender, valorizar e resp...

03/03/2021 - Ensino Religioso, História

Mão na massa, Brasil! – O uso de filmes na prática

 

Palavras-chave:

Filmes, trabalho escolar, criatividade, proposta pedagógica.

 

Segmento/ano:

Ensino fundamental Anos Finais

 

Competências específicas de área (BNCC):

2. Compreender, valorizar e respeitar as manifestações religiosas e filosofias de vida, suas experiências e saberes, em diferentes tempos, espaços e territórios.

6. Debater, problematizar e posicionar-se frente aos discursos e práticas de intolerância, discriminação e violência de cunho religioso, de modo a assegurar os direitos humanos no constante exercício da cidadania e da cultura de paz.


 

Olá!

Na última postagem falamos sobre o uso de filmes em sala de aula e exemplificamos com a obra A Missão (1986) – para ler o post, clique AQUI.

Hoje o convite é para pensar em uma proposta pedagógica partindo da graça do mundo do cinema: uma viagem entre o real e o ficcional!

Para isso, vamos usar dois personagens históricos que possuem ligação com as missões jesuíticas e propor que nossos estudantes partam do real, da biografia desses sujeitos, e abram espaço para a imaginação e construção de  uma narrativa ficcional!

 

Os dois personagens são:

 

A partir desses sujeitos reais, os educandos serão convidados a construir uma narrativa ficcional, mas baseada nos eventos históricos das missões jesuíticas, que inclua esses dois personagens. Professor, sinta-se à vontade para adaptar e selecionar outros sujeitos ou eventos para serem o ponto de partida dos educandos.

A construção de narrativas se apresenta como uma das formas de análise que o professor pode utilizar para observar a fixação e assimilação dos conteúdos pelo estudante.

Por sua vez, para o educando, a narrativa se apresenta como um sinal de sua aprendizagem, uma vez que ela demonstra a compressão de simbologias, objetos, personagens e suas mais diversas conexões.

É justamente dessas ligações complexas que surge uma narrativa!

Você, professor, pode escolher em qual formato o estudante vai construir sua ficção: carta, diário de bordo, jornal, etc.  Que tal um próprio audiovisual? Aplicativos como Tik Tok podem cair como uma luva para atividades como essa!

Como inspiração, deixamos aqui a recomendação do livro Terra Papagalli (1997). Apesar de não se tratar do mesmo contexto histórico que as missões jesuíticas, é um exemplo de obra ficcional que parte de fatos reais para ser escrito.

 

 

Na hora de avaliar as narrativas feitas pelos estudantes, pode-se utilizar vários critérios:

 

  1. Há ligação com a realidade?
  2. Que outros eventos, personagens, cenários e afins o estudante usou para complementar sua narrativa?
  3. O estudante respeitou as mais diversas crenças, valores e sujeitos?

 

E aí, vamos explorar a grande mágica do encontro entre o real e o ficcional?

 

Habilidades mobilizadas (BNCC):

EF07ER03 Reconhecer os papéis atribuídos às lideranças de diferentes tradições religiosas.

EF07ER04 Exemplificar líderes religiosos que se destacaram por suas contribuições à sociedade.

EF07ER07 Identificar e discutir o papel das lideranças religiosas e seculares na defesa e promoção dos direitos humanos.

 

*Texto escrito em parceria entre: Equipe Assessoria de História e Professora Daniela Pereira da Silva

 

Sempre que precisar entre em contato conosco: historia@aprendebrasil.com.br
Siga nossas redes sociais: Instagram @aprendebrasil / YouTube: Sistema Aprende Brasil

 

 

Referências:
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf>. Acesso em: maio, 2018.
DE OLIVEIRA, Cláudia Neli B. Abuchaim; NAPOLITANO, Marcos. Como usar o cinema na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2003.
NAPOLITANO, Marcos. Cinema: experiência cultural e escolar. Secretaria de Educação, Estado de São Paulo. Caderno de cinema do professor dois. São Paulo: FDE, p. 10-31, 2009.

Deixe o seu comentário!

02/03/2021 - Educação Infantil, Informática Educativa

Aprende Brasil Digital: Educação Infantil

Olá, Professores!

Como vocês estão?

Passando aqui hoje para fazer um convite!

Em nossos encontros online da Semana Pedagógica já apresentamos nosso novo ambiente virtual: ABD – Aprende Brasil Digital e hoje viemos aqui para reforçar o convite e deixar registradas todas as possibilidades, os materiais e os recursos que disponibilizamos para vocês!

Para quem é o Aprende Brasil Digital? Para educadores, crianças e seus responsáveis.

O que temos lá?

Para os educadores:

– Ideias, dicas e sequências didáticas com sugestões de ampliação para trabalho com todas as faixas etárias, para os planejamentos e para as práticas pedagógicas;

– Blog, áudios, histórias, músicas e jogos que podem ser utilizados na creche, na pré-escola e podem ser indicados para as famílias realizarem em casa, junto com as crianças, inclusive pensando no ensino remoto;

– Documentos legais e biblioteca do professor, com textos, artigos e diversos materiais para estudo;

– PDFs dos livros do professor e das crianças.

Para as crianças:

– OEDs – objetos educacionais digitais (histórias, vídeos, jogos, áudios e músicas). As crianças podem utilizar com auxílio de um adulto: na escola, com os professores e em casa, com os responsáveis.

No ABD é possível acessar os vídeos “Aprende em casa Brasil” com sugestões para:

– Grupo 1: Álbum do Bebê e Livro das Trajetórias;

– Grupo 2: Pranchetas de Experimentação;

– Grupos 3, 4 e 5: todas as Unidades Temáticas.

Como acessar esses recursos e usufruir de todas essas ferramentas? Fazer login em www.aprendebrasildigital.com.br, com usuário e senha fornecidos por sua instituição.

Boa diversão e bom aprendizado!

Um abraço da Assessoria Pedagógica da Educação Infantil

Se desejar falar conosco, envie e-mail para: edinfantil@aprendebrasil.com.br

Deixe o seu comentário!

02/03/2021 - Matemática

Sugestão de Ativida...

Olá, professores! Sejam bem-vindos ao primeiro episódio da Websérie “Vídeo + OED = Números Inteiros”. Nele apresentamos uma sugestão para o ensino de Números Inteiros explorando um dos recursos do Phet Colorad...

02/03/2021 - Matemática

Sugestão de Atividades de Matemática

Olá, professores!

Sejam bem-vindos ao primeiro episódio da Websérie “Vídeo + OED = Números Inteiros”.

Nele apresentamos uma sugestão para o ensino de Números Inteiros explorando um dos recursos do Phet Colorado. Para conhecer clique AQUI.

Para assistir ao episódio 2 clique AQUI.

Fique ligado! Na próxima semana teremos mais publicações.

Até breve!

Deixe o seu comentário!